segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Como me encontro agora...


Estou consumindo-me a mim mesmo...
Como uma estrela que implode ao se encontrar sem forças para existir por sí própria!
Me encontro na escuridão...
O destino privou-me de ser feliz?
Serei destinado a chorar sem lágrimas de agora em diante?
Isto é para sempre... Enquanto durar minha efêmera existência??
Por que estou assim?
Sou tão simples; ou será o contrário?!
Minha vida é música no ar!
Sou arte pela arte... Poesia nas palavras... Cores entre os dias... Molduras para enfeitar o incolor do que é normal nesta vida... Mas... mesmo assim, estou num oceano em dias de tempestade. Gostaria que a resposta viesse junto da solução. Pois as vezes, saber do porquê não basta para solucionar o problema.
E "como" gostaria de estar escorregando num arco-íris de alegria. Como na infância querida, que jamais retornará.
Ah! queria o sorriso de uma princesa ao voltar para casa. E o calor dos teus braços seria o meu abrigo mais aconchegante. Meu escudo... Eu seria a espada que a protegeria... Mas acordo deste vil devaneio, quando percebo que nem a mim mesmo consigo salvar!

Nenhum comentário: