quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Absorvendo e Ruminando sobre a Existência!


Ouça o som das manhãs de cada dia...
Sinta o frescor da brisa matinal em seu rosto...
Pare um pouco e, pense sobre o que significa tudo o que há ao seu redor.
O mundo respira e transpira por todos os lados.
Um globo azul mantendo vivos (por enquanto)
seres capazes de "estragar" o próprio meio em que vivem.
Seres capazes de destruir a beleza virgem duma verdejante floresta tropical...
De um lindo prado... Um bosque...
Ah! o que dizer? Seriam "eles" (pra não dizer nós) seres repugnantes? Ou seria apenas a sua natureza agindo!?
Será que, o que o homem faz com a natureza está nos planos da própria natureza?
Se somos a razão na natureza... Se somos "ela" pensando sobre si própria...
Pois assim tudo faria sentido. Tudo faria jus ao quesito: Início, Meio e Fim das coisas.
Como num ciclo sem fim. Onde tudo começa, depois mantém-se até um determinado tempo (estipulado pela própria natureza nas coisas) e, assim, termina na destruição - e é aqui que entramos nós, humanos - no caso da natureza suprema das coisas.
Enfim, não dá pra pensar muito sobre isso sem fazer uma cara de constrangimento existencial...
O melhor a se fazer é desfrutar de cada momento, equilibradamente.
Viver cada estação, de acordo com nossos "cenários" situacionais.
Nossas circunstâncias ajudam a nos definir, e ajudam - também - a definir o nosso estado de espírito.

Nenhum comentário: