quinta-feira, 17 de abril de 2008

Desabafo Existencial...


O mundo é belo, suas leis são complexamente belas e práticas... tão enigmáticas que me surpreendem a cada vez que me pego contemplando as coisas ao meu redor.
Ah! e como é precioso observar o balanço das árvores, o farfalhar de arbustos e carvalhos; e como é bom sentir uma confortável tarde de segunda-feira em sua brisa fresca.
Sim, nestes momentos me sinto mais humano, mais vivo, mais completo; é como se me fundisse com o cosmos infinito que me circunda...
E penso se um dia me separarei desta unidade a qual me tornei ao nascer humano, e se um dia me desfragmentarei em milhares de partículas elementares novamente.
Ah! mas como é bom quando sentimos aquilo que gostaríamos de estar sentindo, somado a ''quando'' acontece aquilo que almejamos que aconteceça sempre.
É como saciar uma perturbante sede; descançar de um esforço considerável; é como inspirar um ar simplesmente puro.
As vezes sinto vontade de compartilhar isto com alguém de minha espécie, meu povo...
E as vezes penso em desabafar sobre os momentos em que me sinto feliz com o mundo, com minha existência em si, com minha personalidade e toda a minha essência; o que faz de mim ser Leandro Vieira.
Mas, se quer saber, acho que nunca conseguirei fazer isto perfeitamente; porque as pessoas são fechadas para coisas como estas; sentem estranheza em revelar tudo aquilo que pensam ou suas experiências existenciais com qualquer tipo de acontecimento em suas vidas. Por isto, penso que também sou assim, mais um ser humano tímido, fraco, cheio de obstáculos a transpor...
Tendo a ociosidade como barreira primária...
Virtudes que me impulsionam a voar para o reino das criações, ou, pra ser sincero, da vontade de criar... um desejo de ter a capacidade de não parar a criação.
Por isto eu até penso em um dia tentar dizer, no exato momento em que sentir aquele bem-estar... o que me vier a mente, e deixar as palavras escaparem livremente de minha boca mas...
Se você é como eu, mas não é a mim... Ah!...
Sinto muito, mas não há condições de confiar em mais ninguém, a não ser minha própria mente, meus pensamentos mais filosóficos e mais preciosos...
Qualquer um pode ser alguém que tenha a capacidade semelhante de co-existir neste vasto mundo que flutua no oceano infinito do cosmos...

Nenhum comentário: