terça-feira, 29 de abril de 2008

Sonho e Objetivo

Todos temos uma meta; um horizonte a seguir; todos lutam por um sonho.
E se for pra falar do "meu"...
Gostaria muito que se realizasse aquilo que idealizo (pelo menos as coisas realmente práticas e úteis à minha existência). Gostaria de casar, ter filhos, ter um emprego no qual pudesse utilizar (se não todas) pelo menos boa parte de minhas virtudes. Gostaria de encontrar a paz interior nestes objetos de meu sonho.
Penso sistematicamente nas coisas que me circundam. Acho difícil que exista a "Perfeição" tal como muitos imaginam ou idealizam. Falo do termo em todos os aspectos.
Mas se Perfeição puder significar harmonia entre os opostos; entre o certo e o errado; entre a luz e a escuridão; entre o destino e o acaso; entre a vida e a morte; entre o céu e o oceano...
Ah! sim! sim!
Aí então descobrirei uma função prática e verdadeira para utilizar o termo "Perfeito".
Minha vida ainda se encontra (no presente momento em que escrevo este) em alinhamento, em fase de modulação (de alguns conceitos que se mantiveram temporariamente em minha mente), estou buscando encontrar tudo aquilo que me fará "equilibrado" com o meu meio.
É notório em mim a busca pela harmonia (apesar de se notar mais vontade que prática em se conquistar).
Se a vida me permitir, terei uma filha e um filho (ou um dos dois) e acompanharei a vida de ambos, tentando mostrar o mundo a eles (ainda que muitos já estejam dizendo por aí que já não compensa ter filhos num mundo que definha a cada segundo); a vida me tem sido uma experiência escolar; na verdade é uma pura escola! Levarei a idéia de ter família fixa adiante!
Muitos defeitos impedem meus pés de subir alguns degraus (por um tempo), mas enconro forças pra subir, quando a fé brota da esperança em se alcançar um ponto de equilíbrio entre minha mente e a natureza.
O sonho que alimentarei será praticamente a razão do meu viver.
"Mulher não traz felicidade; a Felicidade habita dentro de você!", diz um amigo meu.
Mas acredito que podemos ao menos tentar aumentar as possibilidades de sermos felizes, um com o outro, apoiando, lutando, pensando, compartilhando das boas coisas da existência...
Temos isso!
Sim!
A vida pode ser um mártir, mas depende da perspectiva!
Na minha perspectiva, ou seja, meu ponto de vista, enxergo a beleza na plena harmonia entre todas as coisas. Uma espécie de panteísmo.

Nenhum comentário: