quinta-feira, 15 de maio de 2008

A Viagem da Existência...


"... Deve ser tudo uma questão de Fé...
E se Fé é uma opção, pode ser perdida.
Para um Anjo, um Homem, ou o próprio Diabo.
... E se Fé significa não entender o plano de Deus, talvez ter alma significa entender nossa parte nele; e talvez "esta" seja a essência de ser humano!"...

... E foi assim que me perdi de mim mesmo. E foi assim que entrei na floresta da escuridão existencial.
Minha mente em turbulência...
O estresse tomando conta do meu coração.
Tudo caindo em desespero total.
Isso não é vida! Isto não deveria acontecer!
Era assim que eu gritava por dentro, o tempo todo.
Agora, buscando forças em uma fé que grita por renovação...
Uma fé, um Amor, uma sede por "preenchimento existencial" (o qual só se pode conseguir entendendo que não será possível compreender os planos de Deus)!
A vida é complexa demais!
Mas encontrei um novo ponto de vista...
Minha existência será marcada pelos que coexistem comigo neste palco...
As entrelinhas de cada dia...
O fogo que aquece o espírito, cheio de fé, esperança e amor (o maior destes, porém , o "Amor")...
Vão brotando em meu peito, cada dia mais e mais forte.
Há dificuldades entre os seres humanos. Algo que nem mesmo eu, sendo um deles, consigo definir e, explicar o porquê de assim ser.
Temos certos protocolos Psico-biológicos em nossas características mentais...
Algo que nos torna (perante a perspectiva de algum extraterrestre, caso fosse possível a existência de um a nos assistir) completamente indecifráveis...
Complexos...
Enrolados...
Loucos!
Somos seres que louvam a Deus!
Mas que erram o tempo todo...
Como se isto tivesse se tornado parte da nossa "normalidade" existencial.
Simplesmente erramos... Sabendo que assim seremos (sempre equivocados moralmente)...
Pensando que sempre haverá um julgador, um "Perdoador" onisciente...
O Narrador onisciente de nossas vidas...
Deus!
Ora! por favor pessoal!
Poupem-me de mais um estresse!
Quero vida nova!
Novo reino!
Novas perspectivas!
Novos estados de consciência!
Parem de ser tão voláteis em suas próprias regras morais..
Olha, o amor é tão simples, mas conseguimos a proeza de distorcer plenamente os caminhos pelos quais ele deveria trilhar por entre nossas vidas.
São seres repugnantes, diria um mero sagüí da floresta africana, caso lhes fosse concedido o dom da fala.
Ou "Ah! como são impuros, mesquinhos, ignorantes, raivosos, distorcedores da verdade existencial... única e perfeita na natureza", o panda chinês.

Sugiro que coloramos esta tela, pintando a cada dia um cor diferente..
E que seja bela a paisagem final.
Vejo a vida como uma paisagem, vista através da janela de um trem, no qual todos nós viajamos juntos.
Não se sabe como será o final desta jornada...
Não se sabe por quais caminhos o trem passará...
Mas acima de tudo, sabemos que o que podemos ver através da janela, é algo que não voltará mais...
Por isto, se tiver de viver algo nesta vida: VIVA!
Se tiver de amar e, caso estiver com medo do que isto possa acarretar... AME...
Se tiver de negar algo, ainda que seja um pedido de algum mendigo: NEGUE!
Pois, pelo que vejo, pelo que sinto, o importante é SER SINCERO com o próprio coração.
Do contrário cairemos sempre no estresse, na dor.
Dor esta que dilacera o coração. Por isto é necessário ser claro para consigo próprio.
Vivamos a vida tal como a natureza nos ensina a cada vez que o sol nasce.
Que o vento nos toque sempre, lembrando "que o tempo vai com ele"...
Se tivermos a consciência e discernimento para saber agir da forma mais apropriada perante todas as circunstâncias... Ocasiões... Situações existenciais humanas...
Então poderemos dizer que tivemos uma vida saudavelmente FELIZ!
Eu amo viver...
Saúde, fique comigo pra sempre, enquanto a juventude e suas demais virtudes me acompanham nesta Viagem de trem...
Te Amo.
Aishiteruo.

Nenhum comentário: