sexta-feira, 20 de junho de 2008

Crepúsculo


Mais uma tarde e o dia se acaba novamente...
Ondas de esperança e estresse se misturam...
Opulência no olhar ao contemplar um horizonte...
Incendiado no laranja e vermelho do crepúsculo.
Mais uma vez o sol se despede do dia, deixando a noite a pernoitar!
A chuva fina escorre as calhas... Pingam as gotas nas folhas das árvores das ruas...
Acabara de chover e o céu se abre novamente...
Um olhar distante e perdido...
Ela está lá em algum lugar da cidade!
Um sonho vivido como numa verdadeira síntese onírica...
O teatro deste devaneio se torna real a cada passo...
Cada batida do ponteiro menor do relógio, e a Lua se aproxima de nós!
O brilho ofusca nossos corações, é amor, é amizade, é fidelidade para com os próprios sentimentos!
Não solte! Não solte!
Grita o coração!
E as mãos parecem procurar-se quase automaticamente...
Como se pensassem por si próprias...
Sentimentos que se fazem de combustível para mentes férteis no amor.
Um terreno baldio pode se transformar numa bela plantação de idéias!
Coração...
Alma...
Destino?!...
Fluxo?!
....
Amor!

"Aicitel, êcov áres erpmes ahnim asor luza!!!"

Nenhum comentário: