quarta-feira, 30 de julho de 2008

Poeminha besta 2


Finalmente ele está livre
Dos seus próprios pensamentos
Dos seus planos inseguros
De correr atrás do Vento

Como a luz que se acende
E que faz ele enxergar
Muda tudo em sua mente
Nem se lembra de chorar

Não precisas ficar triste
Pois a vida é sempre assim
E eu estou sempre presente
Isso nunca vai ter fim?

Se um dia cai a chuva
E no outro vem o sol
Não depende da vontade
Nem da pura oração

Nenhum comentário: