segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Abstração Pictórica


Chuva ácida em meu corpo a cair
Flores num prado,
um belo sorrir
Cinzas aos pés,
Uma caverna...
Um dragão...
Um belo porvir?!

Onde há mais glamour e esperança
Para onde se deve ir?
Tristeza...
Alegria...
Euforia...
Raiva... Melancolia!
Olhares...
Sentires...
Chorares...
Sorrires...

Corpos estendidos no chão...
Tocando-se no amor, na virtude...
Na paixão!
Oh! não! não!
És apenas um joguete da mente...
Imaginação!

Pelas nuvens...
Pelos neurônios...
Onde?! Onde será?!
Aqui! Aqui é o seu lugar!
Montes e florestas...
Palavras suculentas...
Substantivos gorduchos!
Adjetivos sedentos por encher este balde!

Frio! como corta agora...
Por que antes não?!
Por que sua lâmina agora é tão afiada?!
Vento! Vento!
Neve....
Medo... Fobia...
Abstração!
Escuridão...
Tremores...
Pavores...
Clemência... Dúvida...
Crise! Crises....
Oh! tantos por quês(?)...
Mãos querendo se encontrar...
Olhos procurando... Em vão... Um "único tipo" de olhar...
De repente um coração à porta, esperando por outro coração abatido pelo tempo e o destino!
Oh! quão cruel... quão duvidoso!
Quão misterioso abalo sísmico interior!
Folhas do medo...
Cortando por dentro...
Dilacerando uma virtude em fétido vício!
Onde? onde?

Nenhum comentário: