segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Poesia?... É... Mais uma daquelas...


Se nosso Amor depender de uma batalha, e assim, for uma questão de lutar...
Então, empunharei minha espada por nós dois, e não permitirei que um só fio de cabelo lhe seja tocado! E que nem uma só gota de sangue lhe seja derramada sob a proteção de meus punhos, que por ti empunharão esta lâmina em nome de um verdadeiro e sincero Amor!
Se nosso Romance for belo o bastante para se compor poemas e canções... Então manterei a chama de minha esperança acesa, e não deixarei que se apague por vento algum...
E não abandonarei este sonho que surgiu entre o nosso olhar, desde aquele dia!...
Esta será a minha promessa eterna para contigo!
Se somos duas árvores neste lugar estranho...
Onde antes fora uma bela e calma floresta...
Agora não passa de um atribulado campo de batalha!
Minha querida... Sobramos somente eu, e você!
Tente entender meus desígnios!
Sou o cavaleiro do oeste que vem trazer uma rosa nas mãos, e uma pergunta nos lábios!
Sou o raio que desceu da nuvem chamada "sonho de amor", aquela que de mil em mil anos derrama por sobre os campos ressecados o seu golpe certeiro, seu raio letal de profundos sentimentos!
Você plantaria esta rosa que trago comigo em teu jardim secreto?
Cultivaria aos cuidados de tuas suaves mãos, e da luz e do calor do sol...
Enquanto eu protegeria das tempestades o nosso sentimento mais profundo?!??
Oh! como és precioso este sentir...
Tão puro quanto o diamante lapidado pelas mãos divinas...
Tão celestial, tão sublime...
É como uma pura pena das asas de um anjo Querubim!!!

Nenhum comentário: