segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Areia


"Convence-te bem do seguinte: Um dia tua alma abandonará o teu corpo e serás arrastado para atrás do véu que flutua entre o universo e o incognoscível.
Enquanto esperas, cuida de ser feliz!
Não sabes de onde vens....
Não sabes para onde vais!!!" (Netuno)

Por onde caminharemos então?
O que acontecerá com todos os sonhos...
Os alcançados...
Os apenas sonhados...?
Onde ficaremos alojados?
Existe ausência de fadiga no paraíso?
Não creio... Seria absurdo demais!
Inconcebível pensamento!
Inacreditável idéia, seria "afirmar" algo sem "comparações" empíricas; para se poder contar com uma "base" concreta!
Do contrário, ficaríamos "sempre" no âmbito especulativo...
Hipotético...
E, em se tratando de vida, de realidade, de amor...
NADA DE HIPOTÉTICO AQUI! Por favor!
A vida é uma síntese de acontecimentos, que logo após sucederem-se, passam para as páginas da história...
História de nossos dias vividos.
Não podemos negar a realidade que nos cerca.
Não devemos nos prender no que não é válido à praticidade.
O que é pragmático...
O que torna tudo funcional...
Sim!
Buscai primeiro as coisas funcionais, e não rótulos e bandeiras.
Não devemos nos importunar com meros joguetes humanos...
Nossas mentes funcionam independente destas coisas impostas.
Há regras humanas das quais deveríamos rir (e muito!).
Há tanto a se discutir (para os críticos de plantão por aí)...
Mas meu foco vai para a FUP (Filosofia da Utilidade Prática), minha futura obra esboçada em minha mente.
Estou no céu, e se meus sentimentos não me alcançarem... Pena deles!
Ai daquele que contraria o amor, pois é a lei que pauta nossas vidas.
Ai daquele que não se deixa poetizar...
E daquele que pensa na vida como mero joguete...
Não é possível adentrar na própria mente de alguém, isso é fato.
É possível, no entanto, "sintonizar-se" com a mente interlocutora.
E se nossos corações já estão assim, só nos falta um "cenáculo".

Nenhum comentário: