quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Consciência Teológica.

Composta de turbulências, atrocidades, desgraças, tempestades, lamentos, doenças, catástrofes, tribulações de um lado, e do outro de paz, harmonia, sonhos, alegria, felicidade, sorrisos, luta, fé, esperança, amor, perseverança, força, lucidez, o Bem.
Assim é a vida para todos.
Ninguém está livre das conseqüências de se viver aqui na terra.
Deus tem um propósito para cada ser humano. Ele é a natureza das coisas.
Quando o homem "fere" a natureza com os objetos da ganância, inveja, cobiça, imprudência, insensatez e tudo o que for de aspecto malígno (no pleno sentido da palavra, de "cunho prejudicial" mesmo) em seu coração, é a Deus que ele está ferindo (no sentido de ofender, e ser mal agradecido).
Dentre tantas coisas, somos mesquinhos, imprudentes, somos avarentos, errôneos por natureza (sim, pois o erro também é, em uma de suas explicações, conseqüência de impreparação perante o que se almejava corretamente).
Somos seres imperfeitos, mas o amor é o sentimento que visa nos "elevar" à perfeição.
E não é preciso ir longe para entender a profunda verdade que há nesta afirmativa:
Cristo nos ensinou que o amor é TUDO.
Paulo, logo após, escreveu na carta aos Coríntios "Ainda que eu tivesse toda a Fé, ao ponto de transportar montanhas, se não tivesse o amor, nada disso me adiantaria".
Por isso, prestemos atenção ao nosso coração!

Em primeiro lugar, pare agora!
Você, ser humano, terráqueo!
Olhe ao seu redor e me diga:
O que acha que Deus quer de você neste momento?
Entrega a ele?
Louvor, glória, devoção?...
Claro que ele quer... mas tem que ser conscientemente, neh.
Agora, achas tu que, no dia em que tua alma subir para a presença suprema do Criador, ele perguntará algo como: "Homem mortal, de que religião tu eras na terra?"...
Baseando-me nesta premissa, creio estar absolutamente certo de que Deus não forma "timinhos" na terra.
Sei que, entregando nosso coração com fé (e discernimento das coisas, razão) a Ele, "consequentemente" estaremos nos caminhos que ele aprova.
Deus não precisa de explicação para ser compreendido...
Não carece de teologias complicadas para explicá-lo.
Não precisa ser estudado (aliás, que negócio é esse meu, quer dizer que até Deus virou tema acadêmico????)
Ora, Deus é universal, não está aqui ou ali "apenas", é UNIVERSAL!
Deus é DEUS!
Ora, quanta prepotência a de certos homens que acham que ele está na "maneira específica" de se alcançá-lo.
Tem, sim, uma única maneira: entrega "conscientemente" sincera e de coração, para que Ele orquestre a sinfonia das nossas vidas.
Fora isto, o resto é doutrina humana.
Particularmente tenho meu modo de ver. E creio, impossível é todo mundo ver as coisas de uma mesma maneira (perfeitamente igual).
Até mesmo as coisas físicas, por exemplo as cores... são diferentes para os olhos de cada um...
Muito mais as questões da Fé.
O que quero dizer... onde quero chegar?
Que a fé é subjetivamente a chave que lhe salvará da desgraça maior, da verdadeira morte espiritual.
Sem Deus você é um objeto sem-vida.
Mas com Deus, tudo é possível!
Aquele que duvida de algo, mas que diz crer em Deus, está mentindo para si próprio.
Deus não tem planos próprios para com ninguém...
O que ele faz é, obrar no coração das pessoas que "pedem", sengundo a pureza de seus desígnios, para obter a ajuda do Pai.
Ou seja, se quero ser músico, posso obter uma bênção magnífica, a qual me faça ser o mais virtuoso dos músicos do mundo, mas antes, só se "eu" querer em Deus isto!
Não é que Deus me obrigou a sê-lo.
A interpretação é perigosa.
Alguns acham que Deus obriga a algo...
Que Moisés fora obrigado a profetizar ("Senhor, eu não sei falar, manda outro), mas não é bem verdade, pois ele era, por idiossincrasia, e por subjetividade um profeta, ele, antes de mais nada, tinha "vocação" para a coisa.
Ninguém faz algo que não é de acordo com a essência espiritual.
Nada é por acaso.
E Deus não obriga ninguém a sofrer, por exemplo.
Somos livres, e nossos caminhos, quem escolhe somos nós.
Se formos sinceros para com nosso Criador, ele assim nos ajudará com seu poder.
E se realizará, por merecimento, de acordo com nossa fé, as providências.
Penso nisso quando oro pedindo para que eu e a Letícia fiquemos juntos para sempre um dia.
Que nossas obras consistam em buscar um no outro o amor de Deus, e o veradeiro significado de fazer por merecer o consentimento Divino.

Nenhum comentário: