domingo, 7 de dezembro de 2008

À Espera [ou Busca da Terra] da Chuva...


Os minutos vão girando nos ponteiros...
E me pego sozinho à noite, pensando nos dias que vivi, e no que o futuro me reserva pela frente...
Tudo parece um magnífico teatro da existência diante dos meus olhos...
Ao meu redor há pedaços de caos espalhados... Mas já não me sinto perdido, a ordem finalmente está restaurada aqui dentro.
Há uma história bem vivida para acontecer, e um verdadeiro amor pra narrar toda ela.
Meus sentimentos não mais se confundem no topo desta montanha; quando a brisa toca suavemente, totalmente gélida, fresca e, pura!
O ar das alturas é realmente diferente de lá
Estou correndo para o meu destino, o que tracei por vontade própria.
Estou tentando não cair novamente...
A jornada é dura, custosa, longa, cheia de percalços...
Mas...
Eu não desistirei de seguir o caminho do amor!
Aqui estou, parado diante do grande portal...
O mundo me assiste, olhando-me por todos os ângulos, enquanto reflito sobre minha existência, meus valores, meus cuidados próprios, meus medos e preocupações...
Sou como uma esponja para o mundo, pois absorvo cada detalhe que compõe a vida...
Mas o mal é cuspido para fora!
Agora é hora de caminhar, andando a passos lentos.
Sem correr desesperado...
Jejum ao coração?!
Pode ser...
Nunca pensei que fosse ser assim, difícil como decifrar uma charada bem bolada.
Mas meu coração é meu próprio oráculo, meu adivinho, meu sábio conselheiro...
Deus está nele agora, e para sempre eu confiarei nisto!
Para sempre serei o fiel anjo de Deus, para trazer ao mundo o "sinal"!
Eu aceito, Senhor, a espada!
Mandai todos os dias a luz...
A bênção suprema...
A paz...
A calmaria e consolação existencial!
Para os fardos que tenho de carregar por minhas faltas neste palco da vida.
Senhor, perdoe-me, mas sou apenas um mero homem na terra, tentando entender os "porquês"!
Estou na estrada dos pensamentos... procurando uma carona teológica sua, Senhor!
Leve-me à esfera 9...
Leve-me ao lugar dos pilares...
Colunas da verdade..
Leve-me contigo, para abster-me do sofrimento humano...
Só não quero ir para não voltar...
Quero parar por um segundo...
De sofrer...
Só quero entender...
Só quero paz!
Quero dormir em paz...
Senhor, se eu apenas esperar pela gloriosa chuva, ela virá?
Ou terei eu de ir a lugares mais húmidos?
Terei de partir?
Gritando à procura da água sagrada...
Buscando a música secreta da vida...
O acorde perfeito!
Senhor, estou esperando a chuva...
Mas estou viajando em busca das terras onde ela cai e fecunda o solo!
Venha a mim!



... Para a Terra da Chuva!

Nenhum comentário: