segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Pequena Rosa Azul

Por mais que as pessoas digam que uma declaração amorosa seja grudentamente melosa... Redundante... Colorida... Particularmente para-egocêntrica (direcionada para o ego do outro)...
Não há como ser diferente disto!
Por que?
Simples: É o Amor quem comanda e dita as palavras nestas declarações.
Do contrário, não se intitulariam "declarações amorosas"! Não é?!
Ora, quando de fato há, em nossa vida, um sentimento capaz de nos fazer juntar todo tipo de pensamentos, e a compor muitos planos para um futuro concreto... significa que encontramos um par ideal para viver.
Ninguém deveria se unir com quem não possui um mútuo diálogo, ou melhor, reciprocidade mútua verbal e cordial.
Até onde este nosso sentimento pode nos levar?
Digo que ele pode nos carregar em suas asas (somente no amor podemos flutuar e pairar no ar assim) para uma vida a dois eterna.
Vamos nos unindo cada vez mais, vencendo provas, transpassando barreiras, obstáculos e tudo mais.
Não temos nem que pensar na possibilidade de ter que enterrar um sentimento do qual extraímos a essência de nossa felicidade amorosa perante a vida!

Voltando-me para você, agora digo na voz ativa:

-
Se não puderes adentrar na minha... é claro que entrarei eu na tua vida, meu amor eterno.
Saiba pois que nossa união representa um marco importantíssimo em nossas histórias, como indivíduos que sonham, que pensam, que vivem... que amam!
Degustamos cada detalhe... cada erro e cada acerto!
Refletimos o tempo todo.
Uma nova família, uma família que pensa está para surgir!
Mas também minha fé está a cada dia acendendo mais e mais para o céu...
E por deixar nas mãos "Dele"... Sei que nada acontecerá por acaso ou erroneamente.
Peço apenas que "esperemos juntos" este fluxo se encaixar na linha moral.
Pois eu não suporto mais nem um dia sem você!


Te amo, princesa minha.

My little Blue Rose!

Nenhum comentário: