quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

As atitudes do Amor

"Esta é a pseudo-história de L. e L. que acontece num pseudo-lugar imaginado pela mente de L. [inspirado em L.]. Ambos vivem um profundo amor na vida real aqui fora, porém, esta história visa apenas enfatizar como é o teor desta paixão e a que nível estão as propostas futuras que este sentimento maravilhoso pretende realizar em seus dias vindouros, no novo cotidiano".





Um lugar...
Um lugar como um salão de muitos encontros (casuais ou não).
Um lugar onde as paredes são enfeitadas por quadros antigos, e nos cantos há vasos com belas plantas de arranjo.
Mesas e mais mesas, onde frequentadores se encontram em suas realidades cotidianas.
Uma porta de entrada; um balcão longo; uma mesa com um alguém solitário no canto do recinto...
Ela está lá!

De repente a porta do lugar se abre após uma trégua entre a entrada e saída de fregueses (sim, era uma espécie de taberna medieval dos tempos modernos).
Ela ainda não havia percebido, pois estava perdida em algum pensamento, distante daquele lugar cheio de conversas aleatórias.
Um segundo, e seus olhos se voltam do além para focar na direção dele, que neste instante, ao encontrar e, contemplá-la, sentada naquele canto, muda a expressão séria e desprendida para a face [alegremente] surpresa de quem não esperava um encontro "tão" magnífico como aquele...
Que linda surpresa (era a tradução daquela expressão)!
Um brinde ao maravilhoso acaso! (disse em um sussurro para si mesmo).

Então, lentamente ele caminha na sua direção.
E ao se aproximar completamente, senta-se ao lado daquela que representa a princesa do seu coração... A portadora de toda a sua paixão, todo o seu amor!
A mulher da sua vida!

Lentamente sobrepõe a mão esquerda sobre a direita dela, que levanta os olhos suavemente das mãos dele até seus olhos.
Um arrepio lhes percorre o corpo ao se tocarem nas profundezas de suas almas, através de um olhar compenetrado, um no outro.
Ele a levanta (ainda segurando em sua mão, mas trocando para a sua direita para fazer par) e a conduz até a vidraça que dá para o campo lá embaixo ( que se estende numa sequência de colinas e vales distantes da cidade).
Os dois estão juntos naquele sentimento que os casa.
Apenas contemplando as virtudes visuais da natureza, namorando-se!
Como se tudo aquilo fôsse uma bela pintura exposta à janela.

De repente ele à puxa para si...
E seus corpos se tocam coladamente!
É como se um ímã os puxasse e não "apenas a vontade dele"...!
É mágico!
Esplêndido!
Chocante!
Amor!!!!!
E isso é tudo o que sua alma grita por dentro naquele momento!

O calor dos corpos...
Peito a peito...
Face a face...
Olhos nos olhos...
E seus corações batendo ao ponto de não precisarem dos ouvidos para sentirem a pulsação...
"O calor do amor"...
Paixão intensa...
Uma história magnífica acontecendo bem "ali", onde o mundo gira cotidianamente indiferente (aquele local representa o dia-a-dia, mas eles, não!).
Seus rostos continuam se aproximando ainda mais...
Mais...
Mais...
Ainda mais.... e...
A respiração quente um do outro começa a ser sentida...
E lentamente dois lábios se tocam na suavidade que somente quem ama de verdade consegue executar!!

O ambiente parece mudar!
Seus olhos se fecham para saborear um beijo mais que longo...
Profundamente apaixonado...
Molhado...
Suave...
Doce...
Forte!

De súbito ela pega a mão dele, que não entende e tão pouco imagina o que acontece; e de repente ela leva sua mão até sua boca, e morde lentamente, olhando com aqueles olhos que dilaceram o coração daquele homeme apaixonado...
Vai explodir! Vai explodir!
Não! Nããaããão! É amor demais!
Ela quer matá-lo!
Só pode!
É o que ele pensa.... com aqueles olhos, e aquela atitude inocente de quem expressa seus sentimentos...
E ele a beija novamente... com mais força e paixão que nunca!
Um atiça o amor do outro, sempre!
E aquele sentimento só cresce... desde aquele dia até o presente!
Pois o amor que atinge o pico, para eles, é constante, e não baixa, não desce, a temperatura se mantém...!
É o amor de L. e L.

E aqueles dois degustam o amor um do outro, num abraço fortemente entrelaçado!




P.S - Letícia, meu amor, tu és a princesa por quem eu sempre esperei; quando me ajoelhava ao lado da cama para pedir a Deus que trouxesse para mim, em meu caminho, uma portadora para o meu coração, a futura dona dele (porque o coração de todos não pertence a ninguém senão ao amor da vida de cada um); um alguém que me fizesse acreditar que posso debruçar todos os meus sentimentos de afeição e paixão, me doar, me dar, me entregar, fazer acontecer o amor.
E você veio para mim assim: como a chuva que a terra precisava a muito tempo!
Não tem como negar os fatos de minha existência, e você é alguém com quem quero viver mesmo.
Por favor, ore por nós dois assim como eu faço, em todos os dias, para unirmos nossas forças e aprendermos juntos a viver lado a lado!

Eu te amo, para todo o sempre, meu amor,
Princesa do meu coração...
Minha linda Rosa Azul, dos campos sagrados...

Nenhum comentário: