quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Reflexão Existencial


Sentado aos fundos do quintal eu penso...
Nos dias em que já vivi...
Nas noites em que mal dormi...
Nos Invernos em que sofri...
E nas fogueiras em que já queimei o dedo.
Lembro-me das estações que já passei, primaveras, Outonos, Verões e Invernos (alguns rigorosos).

Momentos e mais momentos de diversas e adversas emoções.
Passei por muita [e pouca] coisa ao mesmo tempo; e isso é o que se poderia chamar de "humano!"
Passei pelo frio, pelo calor, pela dor, pelo prazer, pela alegria, pela tristeza, pela euforia, pelo ódio ou pela inveja...
Mas há muitos outros sentimentos e experiências sensoriais... mas muitas destas coisas acima descritas ainda sinto em meus dias contemporâneos (são os fatores determinantes da minha imperfeição, e como característica de minha humanidade).
Penso que tudo na vida é passageiro, inclusive emoções que achamos que durarão para sempre: alegria, prazer, euforia da vitória, etc.
Mas quando penso nisso e sinto-me desanimando por dentro [justamente por esta reflexão sobre o que é "efêmero" causar espanto e deprê], vem novamente o amor a me ensinar como colocar tudo em seu devido lugar.
Cada dia é um novo dia, e devemos agradecer pelo mesmo, é o que eu penso sempre.
Para mim o Amor é uma atitude de escolha, e não um passe de mágica instantânea, algo que se faz artificialmente.
O amor, aos meus olhos, é como uma rotina, uma tradição, um método de se viver. "Viva O Amor e No Amor!"
Nesta vida acontece de tudo, e penso o tempo todo sobre cada detalhe.
E às vezes penso [demais] sobre uma gota d'água numa folha na história da vida, quando na verdade deveria é me importar com os galhos e com a própria árvore da existência em si.
Às vezes me perco de mim mesmo, tentando (sabe-se lá por que impulso) encontrar o que não está perdido, ou tão pouco existiu de fato.
Talvez [e baseando-me na idéia de que cada um possui a sua cruz para carregar], o fato de questionar tudo e todos (existencialmente falando) seja uma cruz a carregar "pessoal" minha, algo peculiar à minha mente, meu viver.
Algo que faz de mim o que sou [do ponto de vista um tanto pejorativo, ou imperfeito]; mas minha maneira de caminhar é ir aprendendo através daquilo que me fascina no mundo, algo que me conquista, mas...
De repente, esta colocação levanta uma questão quase que por reflexo:
Pois quem me garante que não poderei ser conquistado por um joguete de sedução perniciosa e maléfica, diabolicamente astuta nesta de embarcar nos questionamentos existenciais?!
É por esta razão que preciso de algo ou alguém que mostre onde [e por onde] estou indo, alguém que me seja como o bandeirinha de futebol; para mostrar se estarei dentro ou fora do "campo" de futebol divino e sagrado de Deus.
Este alguém poderia ser a minha mulher(?!), que é seguidora de Jesus. Claro que também sou, mas por muitos anos me afastei um pouco do campo, daquele verde e aconchegante prado de Cristo, e vaguei num deserto lamacento por eras...
Agora, quando ela me convida (numa tentativa de me "santificar" mais e mais) para a presença de Cristo, ainda me encontro sujo de lama nos pés e também na cabeça.
Esta lama sujou minha roupa, desde quando me afastei e entrei numa viagem sem guia.
Esta viagem sempre foi dura, solitária, amarga, cruelmente fria!
E você só pode contar com seus próprios pensamentos, suas próprias forças, e tudo depende somente de você.
Por isso, precisava voltar a sentir que, na verdade, Deus, o Pai, é o dono das forças as quais necessitamos para sobreviver (espiritualmente falando, que é o mais importante para nós seres "humanos").

Deus é Deus e ponto final.


Por isso, deixo aqui a minha sincera oração a Deus:

"Senhor, Tu que bem sabes da minha efêmera existência, e do pouquíssimo tempo em que passei até agora na terra. Peço, Oh Pai, em primeiro lugar, o Teu perdão Divino, por tudo de mal que eu tenha cometido e que ainda cometo em meu coração e em meus atos mundanos.
Senhor, Tu bem sabes da minha condição limitada e, por isso, humana; sabes também o quão doloroso é para mim lutar nesta arena na qual me vejo inserido por Tuas mãos.
Perdoai-me, Senhor, porque não consigo manter um ritmo de santidade tal qual o de teus profetas (ainda que eles também tenham cometido pecados, eu ainda não chego nem perto da conduta que eles tiveram e mantiveram durante suas vidas na terra); perdoai-me porque sou inconstante, rebelde, orgulhoso, e fraco na Fé...
Por isto peço que me ensine a viver num novo pensar...
Num novo coração...
Com o Teu Amor Perfeito, Oh Senhor! Derrama em meu peito o sagrado Amor que Tu demonstraste naquela Cruz, e ensina-me a viver de acordo com a Tua Jurisdição e Doutrina.
O Teu querer é e se faz necessário aqui, Senhor, vem e preenche de Amor e Santidade, todo este coração inconstante e maltratado pelo pecado.
O pecado me afastou de Ti, Senhor, e por muitos anos vivi na escuridão da vida, nas sombras da falta de Fé, de certeza, de vontade de viver a vida como Tu sempre quiseste para "Mim".
Oh Senhor, Dai-me a Tua bênção de acordo com a Tua Misericórdia, pois se depender de mim, não mereço nada, não sou digno de nada, pois o Teu gratuito Amor, por muito tempo se fez vil e vão para minha concepção pessoal e individual!
Pai, em tudo o que eu fizer, e onde quer que eu esteja, caminha ao meu lado, dizendo e mostrando por onde meus pés devem passar para se alcançar a conduta que te apraz!
Ensina-me, pois estou a pedir, apenas isso.
Que a Tua presença se faça presente, em todos os dias da minha vida...
Como quando mantivemos o "Primeiro Amor", e até mais e mais...
Mostrarei do que sou capaz "em Ti", Senhor....
Receberei de Ti todas as instruções, Todos os preceitos Divinos...
Abrirei meus olhos somente para o Teu Reinado, e para as coisas que quiseres me mostrar!

Oh! Senhor! Não sei metade das coisas que gostaria de saber...
Tão pouco sei o mínimo necessário para manter a alegria de se sentir preenchido por algum bom saber!
Em Ti me sinto vivo, existente, com "sentido" de viver, e, para Ti meu espírito retornará, purificado na terra, durante todo o tempo em que me mantiver na Tua Presença, e Tua conduta.
Louvado seja o Teu Existir, o Teu Nome, OH Eterno, por tudo o que és, e por tudo o que já demonstrou, sendo o Deus que não depende do Homem para Existir.
Sei que estás aqui, observando meus passos, e que cada um deles fora esperado, e programado por Ti.
E que o Senhor me conduziu às sombras, para conhecer a ausência de luz e o que ela faz com os corações daqueles que "já"caminharam na Tua Presença um dia...
Agora eu sei, Senhor, e Tu és, o fiel observador e juiz, aquele único Ser, que tem o poder de reparar a tudo e construir todas as coisas...
Esteja em minha vida, agora e sempre...
Proteja-me do mal, assim como o pastor que protege o seu rebanho agitado no campo entre as pedras...
Dai-me a força necessária para sobreviver ao temporal de minhas tribulações, minhas frustrações existenciais...
E sacia meu coração com aquilo que ocupe o lugar do que tanto me agride a alma...
Guia meus passos como o instinto que guia as águias para o Oeste e para o Norte...
Mostra-me onde há alimento no inverno...
Onde há lagos de águas frescas no verão...
E sacia minha vontade de Ti...
O simples prazer da Tua presença e a consciência do Teu querer... Tudo isso me fascina Senhor!
Muitos choram pelo mundo, sem o saber...
Muitos o querem encontrar, mas não sabem "deixar" que TU guies os passos, assim como o pai que conduz o filho pela mão, para que este não caia e, assim, se machuque no chão.
Pai, Sei que tens planos e projetos em minha vida...
Executa-os, em nome do Teu querer, do Teu Amor infinito....
Do Teu poder absoluto e supremo, e, acima de tudo: da Tua misericórdia, que alcança o meu coração, quando mais preciso encontrar o Teu abraço de consolo, nesta vida sem sentido...
Somente o Teu Existir justifica uma existência como esta...
A Ordem no Caos...
És Tu, Senhor!
Te Louvo... em verdade.... Mesmo que me falte as palavras, e ainda que eu não saiba louvar...
Te Louvo, te louvo em verdade!

Esteja comigo e com os Teus, para todo o sempre, Amém!"

Nenhum comentário: