terça-feira, 28 de abril de 2009

L.


Quando você subitamente começou a não mais demonstrar "o Amor" que sentia por mim em seu coração (antes), foi como se meu peito tivesse sido aberto e alguém começasse a pingar ácido nele sem parar!
Era como se uma afiada espada estivesse cortando-me de dentro pra fora... silenciosamente!
Foi tão difícil conceber esta perda... tamanha perda!
A perda de um amor tão raro e profundo (pra mim)...
Por isso eu me recusava a acreditar, aceitar que tudo ficaria apenas nas melhores lembranças dos nossos momentos juntos.
Mas não vou omitir que sentia algo errado entre nós...
Eu sentia algo malígno quando vinha a dúvida dar a cor característica de nossa química juntos!
Mas o que foi tudo aquilo então?...
De repente, ao acordar em cada manhã, comecei a ter os despertares mais abatidos de minha vida!
E me sentia um efermo que a cada dia despertava com uma certa amnésia, perguntando-se "afinal que tipo de veículo pesado e violento havia me atropelado na noite anterior!"...
Ah! quando você partiu deste amor sem dizer adeus...
Meu coração se sentiu como uma criança abandonada pela própria mãe que antes lhe alimentara tanto!
Por isto ninguém conseguiria conter minhas lágrimas de indignação e desespero diante da dor de um "forte" desapego!
E somente um bebê conseguira compreender o significado de minhas lágrimas!
Pior que tudo foi começar a imaginar se tudo não havia passado de ilusão e assim não ter chegado nem perto do que é o amor!
Pois o Amor verdadeiro não deveria causar tamanha dor! (Não é?!)...

Oh! boneca da peça onírica de meu teatro existencial...
Devaneio de meu partido coração...
Me pergunto por onde caminharão teus suaves pés..
E onde se repousará o teu inconstante coração aquoso?!
Sei que para ninguém a vida é fácil o bastante para sorrir livre de perigos inesperados...
Mas no pouco que te conheço eu oro...
Oro para que consigas encontrar...
Encontrar e segurar a luz que Ele tiver para ti!
O lugar de repouso sereno... aquele no qual não terás de refletir para jazer apenas!
Que teus dias sejam iluminados por esta luz magnífica que se acende perante a mim...
A face suprema...
O poder supremo...
A autoridade para perdoar pecados...
O olhar onipresente que perscruta os horizontes de nossos espíritos sonhadores...
Tentarei ser meu próprio exemplo, após seguir o dEle...
Para nunca mais alimentar qualquer dor em meu coração...
Para não enlouquecer com coisas desconexas da lógica em meus dias...
E com os fatos ilógicos que nos acometeram quando juntos num mesmo devaneio...
Num sonho distante...
Um no outro..
Um sonho distante... para lá... além do horizonte que se pode alcançar com a visão...
Sonhando TANTO... TANTo...Tanto...tan....to!
Agora eu desço esta montanha a qual escalei correndo e sem equipamentos de alpinismo...
Sim!
Eu confesso, depois de um tempo eu não havia mais me preocupado em equipar-me para escalar!
E agora, nesta descida abatida do coração...
Desço querendo correr, para esquecer o que fui (tentar) buscar lá em cima um dia (com TODAS as minhas forças)...
Só não corro para não tropeçar em meus próprios pés!
Ah! vida!
O conhecimento da verdade...
A verdade sobre a "realidade" da existência!
E esta dor que a vida [desregrada] pode proporcionar aqueles que se entregam plenamente aos desígnios do coração, justamente quando deveriam resguardar-se!
Oh! e como sofrem estes ingênuos do devaneio cegado...
Senhor, não quero... já não mais quero fazer deste grupo parte!
Pois infelizmente não é verdade que se entregamos "todo" o nosso coração (por e) a um amor seremos completamente felizes!
Descobri que é muito pelo contrário:
Pois se assim o fizermos, estaremos abrindo nosso peito ao vento à possibilidade de levarmos um belo dum tiro certeiro! E aí sucumbiremos na desgraça do desânimo e exaustão!
Por isso, meu conselho a todos os reféns do devaneio amoroso...
Vista-se bem com a prudência e razão das coisas...
Agasalhe bem o seu coração e calce luvas antes de sair lá fora, rumo às "motanhas de picos gelados!"...
Porque o medo, a incerteza e as conseqüentes dúvidas frustrantes do amor podem nos levar à distância de Deus, nosso único provedor de satisfação existencial...
E pode também nos levar ao desapego ao amor que temos (ou poderemos ter) pela vida em si e a Ele!
Agasalhe-se!
Ame, mas faça tudo moderadamente!
O aprendizado é como uma rosa no topo de uma raiz horrorosa lá em baixo do solo!
Imagine!
Olhe só para esta metáfora:
A raiz feia, debaixo de um solo sujo e húmido representa a dor da experiência...
No entanto, lá em cima, após o caule do tempo, você poderá (se quiser e opinar por isto) enxergar a linda rosa que se brotará da mesma experiência ruim!
Aprenda com isto e colha sempre mais e mais rosas em sua jornada aqui na terra!
Jesus vai gostar muito de ver o seu "jardim" bem florido quando ele voltar!
Pegue esta idéia, e cultive somente as rosas e flores...
Não cultive raízes defeituosas ou sujas de lama!
Aprenda!
Eu estou fazendo este curso com o próprio Cristo...
Entregando meu viver a Ele, e pedindo discernimento da Palavra pra caminhar cada vez mais e mais com a luz que brota do sEu ministério Celestial!
Louvado seja Deus pelo amor que Ele deposita naqueles que seguem esta jornada com sua Providência dentro de seu coração!
Que o amor infinito e a misericórdia dEle esteja com você, comigo, e com todos que o procuram e buscam encontrar apoio e refúgio!
Amém!

L.






Nenhum comentário: