terça-feira, 12 de maio de 2009

Poema à lá Diário de Bordo Atualizado


Ah se tu soubesses...
Minha pequena fagulha de luz ao relento!
Minha estrela do sul do manto celeste...
Que "ainda" escrevo...
Sim...
Que ainda escrevo sobre ti!
Mesmo que tenha parado de escrever sobre "ti" logo no início desta estrada!
Ainda que tenha a tempestade me afastado a atenção amorosa dos teus simples passos...
E ainda que o tempo tenha se encarregado de livrar-me a atenção da tua rouca voz ao meu lado...
Oh! serena...
Oh! m'nha pequena!
Ainda escrevo!
Sim! pois sempre a tive por perto...
Mesmo a não querer-te como musa...
Mesmo distraído em "outros jardins!" de outras rosas...
Pois por tanto tempo numa rosa observei atento,
Precisando o sonho corpulento,
De que seria "aquela" a minha musa...
Mas o tempo se encarregou de revelar:
Não! Não era não!
E tu, oh! m'nha pequena...
Tu voltaste a ser serena diante desses olhos que agora te contemplam,
Amedrontados em meio a recente queda...
E quase cegados em espinhos venenosos de incerteza...
Mas agora, agora quero, minha serena...
Quero conhecer a verdade!
E então que venha a mim...
Se do início de tudo já fora a tua presença o sinal perfeito...
De que serias a (minha) musa por direito...
Atrapalhada (de em meu coração permanecer) pelo demônio da dúvida externa...
Agora por ti paira em meu peito o devaneio...
Sim: mudaste m'nha sina!
Assim como uma estrela... ou...
Não...
Uma fada confusa borboleteou diante de meus olhos...
Em meu coração...
E fui pego em seu pó mágico...
Mas ela só queria ver-me feliz com a Criador...
Mas... agora...
Como é bom sonhar contigo, pequena estrelinha do meu céu cotidiano...
E como é gostoso esperar que em Deus sejamos:
O verdadeiro ser...
Formado de duas cabeças...
Duas sentenças...
Dois corações (num só suspiro)!
Então eu oro e peço: vem!
Venha a mim... oh! pequena!
Vem permitir que a intuição dite os parâmetros dos nossos dias...
E dê a eles o verdadeiro sabor de existir!
Pois por uma rosa diferente, mudei meus rumos...
E agora, por uma outra (nova ou antiga?!) rosa, voltei a si!
E recuperei (a tempo) a consciência...
De quem fui...
Quem sou...
Quem serei!
Serei o melhor que eu puder!
Acredite...
Deus proverá...

Nenhum comentário: