terça-feira, 16 de junho de 2009

A Pérola da Arte: Poesia do Coração!


...."Eu quero ver o sol atrás do monte
Eu quero ver o brilho que ele traz
Eu quero ouvir o som da Tua voz"...

É, Rosa de Saron...
Pois é!...
Eu também, assim como em vossa letra, quero tudo isso!
E quero além...
Quero deixar de querer prender o pôr do sol.
Quero deixar de querer que ele não se vá: tão rápido!
Pois nós, seres humanos, temos a mania de querer prender tudo o que nos é belo!
Tudo o que nos é "precioso"...
Então, penso cá comigo, e decido tentar:
Vou caçar tesouros, sim...
Mas também permitirei que o passar do tempo, tão natural como ele é...
Seja a verdadeira jóia dos meus dias:
Minha preciosidade!
Que o ordinário (como diz Pe. Fábio de Melo) me seja extraordinário!
Que eu aprenda a enxergar o que antes não via...
E que o amor paire sobre meu coração, assim:
Suave como as brumas que perto dos riachos flutuam baixinho.
Que o amor seja o néctar que escorre por meus lábios.
E que meus olhos sejam as janelas para que este Elfo [amor] encantado tenha visão...
Visão para o jardim de um outro Elfo!

Seja, ó coração, o guardião fiel de minhas poesias conjecturais!
Seja fiel, amigo, e permita eu seguir em frente, pouco a pouco...
Alcançando o horizonte que logo à frente percebo iminente.
Eu quero, ó sublime sentimento, navegar!
Tenho uma artística jangada; preparada por minhas próprias mãos.
O vento amoroso que acaricia o rosto dos sensíveis a este sentimento é a bússola.
Amor, meu Norte, meu Tudo...
Estou migrando...
Navegando...
Estou tentando...
Viver é isso!
Tentar...

Ser cientista e poeta ao mesmo tempo!
Pois nós, que somos atentos à detalhes, somos estas duas coisas simultaneamente!
Então, como cientista que faz experimentos e tentativas (quase) alquímicas...
Experimente não somente os "Booooooooom´s!" das catástrofes experimentais...
Mas também "Eurecas", quando o poeta em cena entrar!
O poeta dirá o sabor que a substância contém...
O poeta saberá dizer!
O poeta viverá, e sobreviverá mesmo após tragar esta poção, fruto de ensaios, de tentativas!

Ele quer, ó Senhor, ser "parecido" a Ti, pelo menos no quesito "artístico"!
Venha, que venha!
Escrevendo nas entrelinhas mágicas...
Ele está nos trilhos que conduzem à terra desconhecida por suas experiências...
Pois a cada viagem, uma nova atmosfera...
Novos ares...
Novas montanhas a escalar...
Novos picos a alcançar!
Tudo novo!
E um destino entregue em Tuas mãos, ó Deus Pai!
Eu sei o quanto é necessário a consciência de se ter dependência de Ti!
Eu dependo, e, por depender "somente" de Ti, quero... e como quero...
O "devir" de Eros....
Que estes três:
Eros
Philos...
E...
Ágape...
Tornem-se um só neste momento!
Em minha vida!
Em meu teatro existencial...
E, assim, possa eu brincar de ser uma adulta criança!
Menino anjo que nas areias das possibilidades amorosas cria seus castelos...
E que não desmoronem meus castelos, pois os construo com tamanha inocência...
Esperando apenas que as ondas venham umidecê-los (ainda que desmanche algum pedaço)...
Pois não é a perfeição de uma maquete que me importa...
E sim, a naturalidade e sinceridade inocente com que se os constrói na brincadeira!
Sim...
Brincando de construir castelos de areia à orla da praia...
Assim quero viver, Senhor!
Assim quero sonhar com o devir!
E que a poesia seja o diálogo corriqueiro do dia-a-dia...
Que a arte seja a naturalidade em nós...
Mesmo que às vezes em ácidas desagregações ideológicas, possamos ainda desfrutar do Artístico!
Da beleza em sermos quem somos...
Humanos que acreditam...
E que esperam o milagre de se estar sob a Tua Providência!
Todos nós somos atores no teatro da existência....
Mas ainda assim, um dia, o sol irá nascer diferente...
Talvez mais colorido ainda...
Talvez mais fascinante...
Quem sabe...
Pérola da arte: Poesia do Coração!

Nenhum comentário: