segunda-feira, 13 de julho de 2009

Escrevendo o Dia Poeticamente


Dizem que o homem é quem cria os valores nos quais acredita.
Dizem que é o homem quem atribui valores às coisas. As características de cada objeto da existência. O valor de beleza de cada flor, cada pedra preciosa; cada parte da natureza.
É o homem, dizem.
Se isso for verdade, pois sei que nada sei (mas não sou um Sócrates), digo que o escritor - principalmente o de contos e o poeta - deve ser o maior criador de valores possível.
Digo pois nas obras literárias é necessário estilo, estética, rítmica, arte enfim.
É ele quem compara o rosto de uma mulher amada à beleza de uma rosa do campo.
A força de um corcel à pujância dos versos.
Então o poeta é um criador de valores também.
É um criador de belezas e significados simbólicos.
Sendo assim, poesia é metáfora, é conotação da alma humana.
Pois somente o homem pode sentir a natureza como tal: poeticamente!
E contemplar o amor por uma mulher como contempla um lindo pôr de sol, ou o despertar da aurora.
Por isso, caro poeta, queira lutar por aprimorar-se sempre mais, nesta árdua tarefa de trazer e levar valores para os mais necessitados da arte. Pela sede de sugar este néctar existencial que é a beleza da vida.
A vida sem poesia não é vida, é dissertação existencial.
Escrevamos, caros irmãos humanóides, escrevamos, em cada dia, nossos versos...
Independente de como possamos compô-los, escrevamos com toda a tinta de nossos tinteiros vitais.
Escrevamos...

Nenhum comentário: