sexta-feira, 10 de julho de 2009

Experimentos Psicológico-Idiossincrático


Veja, sinta, contemple
Absorva o que respinga e se escorre para ti
Eis o fruto de uma experiência
Experimento por coincidência idiossincrática
Não é proposital
É o ser tentando entender-se
E ao buscar-se, busca ao outro ser
E ao encontrar, no outro, um sinal,
Interpreta-se na concomitância subjetiva
Neste olhar oceânico, celestial, deep, deep!
Rasamente profundo é!
Complexamente simples, também o é!
Paradoxo?!
Talvez, as vezes.
Aqui jaz a experiência psicológica
Tentando entender o ser por plenitude
Ou ao menos em partes significantes
Então... que dizer?
Ah!...
Vem brincar...
Vem brindar, amor!
Brindemos do melhor que há nos odres da felicidade:
Amar e se entregar à liberdade amorosa!
Pois estar preso à liberdade é ruim...
Melhor seria estar livre dentro de um "cativeiro amoroso"
Seria, assim, sinônimo de "segurança coracional".
Este ser que te afaga os olhos e o olhar, este "como ser" que te contempla
É o ser que "quer ser como tal":
Bálsamo, e a puerilidade que encanta e quer despertar entusiasmo existencial!

Nenhum comentário: