sábado, 8 de agosto de 2009

Horizontes


Sentado, e com as mãos estendidas sob meus joelhos, começo minha oração
Baixinho ela se inicia sibilante como o leve farfalhar das folhas
O que dizer?
O que pedir?
Não!
O que dizer ou pedir por "primeiro", oh meu Pai!?!
Então começo a louvá-lo pelo dia que se estende (ou pela noite que cai escura sobre o dia que se vai)
Oro pelos enfermos que clamam por cura e redenção
Oro pelos mais pobres de espírito e de bens, e pelos pobres de coração!
Pelos mais humildes e perdidos!
Tão sofrida vida...
O mundo não oferece nada pronto, e a razão de existir, humanamente, se faz no "buscar"
Quando penso nos mais próximos a mim eu clamo mais ainda
E meus olhos começam a derramar lentamente as lágrimas que dizem "tudo" sem eu dizer "nada"!
Te louvo, oh Pai!
Por ser Deus (claro, é indubitável que és ¬¬)!
Mas Te louvo por conceder-me "consciência" para fazê-lo!
Obrigado!
Haleluia!
E obrigado por colocar em meu caminho uma companheira de percurso...
Agora passeamos juntos pelas alamedas de nossos sonhos humanais!

Mas deixamos, é claro, em Tuas mãos, oh Senhor, a Divina providência de confirmar cada passo que damos e que ainda iremos dar!
Por isso, novamente agradeço-Te: por poder brincar, dialogar, e vindouramente, quem sabe, até sofrer as intempéries da existência, juntos!
Que em nossas vidas a Tua mão se faça presente e "vívida" diante das nossas "percepções"!
Não sabemos o que o horizonte futuro nos reserva
Mas Tu bem o conheces
E a Ti pertence a essência de TUDO!
Dai maturidade espiritual para cada um de nós
E ensina-nos a viver a vida na Tua presença, sempre, e para sempre!
Não nos deixe na escuridão sem que obtenhamos, antes, de Ti a Divina Lâmpada!
Seja o nosso Tutor, agora e sempre,
Amém!


Nenhum comentário: