segunda-feira, 7 de setembro de 2009

As Coisas da Vida


É difícil entender a vida por plenitude se num só lapso de nossa jornada nos encontrarmos. Ainda mais quando se é jovem, isto é, quando o indivíduo se encontra na metade da metade de sua caminhada existencial.
O mundo é, ao mesmo tempo, grande e pequeno demais para cada um de nós. As coisas mais diversas acontecem ao nosso redor a todo momento e percebemos bem menos que 25% de tudo isso. Diria: é muita informação ao mesmo tempo!
Talvez seja por isso que existem muitos problemas de cunho psicológico na humanidade. E não só no aspecto psíquico como também no espiritual, conjugal, profissional, social em geral.
Ter escolhas é algo bom quando isto significa que há várias opções (e TODAS elas sendo benéficas) para se fazer um determinado"Bem". Mas o "Mal" patológico surge da falta de direcionamento para estas diversas opções. É quando já não se sabe bem ao certo qual das opções é a verdadeira, ou certeira para desempenhar algo na vida. É você não saber ao certo que religião seguir. Que estilo adotar para se vestir. Que perfume é melhor para o seu tipo de personalidade. Que cor mais combina com você (hei! nisto pelo menos todos nós deveríamos estar já decididos neh).
Bom, a confusão das escolhas gera muita ansiedade, e é ai que as patologias surgem. É como se o fato de existirem muitas opções de escolha fosse o gatilho para as crises humanas de ansiedade em geral.
Infelizmente a vida é cheia disto. Cheia de esquinas e avenidas que oferecem os mais misteriosos caminhos/destinos. É por isso que devemos estar certos do que queremos. É por esta razão também que devemos buscar nos sentir "seguros". E aqui o termo seguro vem no pleno sentido de adjetivo mesmo: "seguro é aquele que goza de boa saúde, tem grande disposição (diz-se espécie de pessoas idosas) que tem certeza do que sabe e de como deve agir; que não hesita nem receia; firme, corajoso, afoito; que não teme errar; não sujeito a enganos; autoconfiante" - Dicionário Eletrônico da Língua Portuguesa Antônio Houaiss - é tipo isso ai.
Mas afinal quando é então que encontraremos as respostas para a automática questão que é a nossa existência humana individual?
Penso que há de se concordar com o que nós cristãos chamamos de seguir a própria "Vocação".
Isso mesmo. Vocação é o chamado para o qual cada um é convocado a desempenhar uma missão.
Isto significa que cada pessoa é como uma ferramenta. Uns são espadas. Outros são escudos. Há os enfermeiros espirituais dos homens. Há os palhaços. Psicólogos. Arquitetos. Advogados da lei moral. E cada um destes precisa encontrar o caminho que conduz a manifestação do dom vocacional para a missão individual.
Seguir outro caminho só conduz à infelicidade, incompletude. Insatisfação pessoal. Não há felicidade plena. Não há consolo para um coração que está no lugar errado.
É preciso ouvir a voz que chama. Esta voz está no lugar onde menos esperamos encontrá-la: dentro de nós mesmos.
O mundo é grande para os que não encontraram o caminho da missão pessoal. Mas é pequeno demais para aqueles que já sabem o que querem. E neste pequeno mundo já decifrado, pelo sim à missão vocacional de cada um (sendo ela de qual for a espécie), a felicidade reina entre o indivíduo, e Deus.
Pois este mundo é louco para quem não consegue aderir à missão. Por isso, é necessário encontrar-se, buscando dentro de si próprio as respostas que só dentro do próprio espírito serão encontradas. É preciso um mergulho interior para poder o indivíduo sair para o mundo, numa jornada com seu dom vocacional.

Nenhum comentário: