sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Temperança


Ah! se eu soubesse...
O que acontece...
Por que a sorte me sorri sempre assim...
De soslaio, pela vitrine?!
Por que de dor meu peito novamente padece?!
O que fiz para alcançar este sofrer?!
Como devo me administrar para não cair naquele calabouço escuro mais uma vez?!
Na masmorra dos bloqueios...
Perturbado por uma impotência que transforma em passiva minha força...
Oh! Senhor!
Ninguém deveria passar por momentos como este!
Mas às vezes Eu passo...
E entre soluços clamo por um caminho que alcance a Luz da Verdade!
Venha, oh Verdade!
Afinal, que há entre o Sol e a Lua senão uma ligação Luminosa?!
Que há entre nós senão uma ligação "Amorosa"?!
Ou deveria dizer que é outra coisa?!
O que acontece aqui afinal de contas?!
O fogo crepita na lareira. Mas não o vi aceso a não ser em outros chales!
Queria saber... Se é de gravetos que preciso ou, se já os tendo, preciso de combustível para acender a fogueira cujo calor não sinto completamente!
Há coisas a mudar...
Coisas a acrescentar...
Coisas a esquecer...
Coisas a adaptar...
Coisas a aceitar...
Coisas a compreender...
Enfim, há "n" coisas a serem feitas pela vida!
Mas acima de tudo, temos que ter em mente que o melhor caminho é aquele no qual encontramos uma maneira "feliz" de caminhar!!!
Pois na questão ''ser-feliz'' o importante não é o "destino de chegada", mas a "forma de se caminhar".
Isto é conhecido, é jargão, é clichê, é batido, é... eu já sei disso.
Mas é preciso martelar e remartelar até que esta estaca seja profundamente fincada em nossas cabeças e corações!
O que importa afinal?!
Esta vida é cheia de ilusões-desilusões, mas tudo isso não passa de "tijolinhos" que compõem a muralha da existência humana - tal qual se nos apresenta.
Ah! se eu soubesse!
As vezes penso que seria ótimo ter uma bola de cristal. Mas dai ficaria chato logo em seguida, pois não teria mais graça pré-saber das coisas humanas ou fenomenais da vida.
O negócio então é saber contornar barreiras pela caminhada. Buscar a homeostase existencial hehe... E assim driblar-se a si próprio no jogo do dia a dia.
Algumas pessoas querem vinho à vontade para poder esquecer os problemas da vida. Outras há que preferem cognaque, wisky etc... Tudo é alcoólico do mesmo jeito!
O ideal, não é fazer uso de acessórios para enganar as nossas desilusões, mas meditar a vida e temperar-se com as virtudes que "já" possuímos dentro de nós.
Sei que cada um "já" possui o antídoto para qualquer mal mundano "dentro de si próprio".

PS: Deus sabe o que faz.




Onegai Shimasu.... Kami Samá!
Tasuketê!


Nenhum comentário: