segunda-feira, 15 de março de 2010

Compressão

Amor,
Em meu trabalho todos os dias o rádio é ligado para que os clientes façam compras embebidos em um fundinho musical para acompanhar o expediente. São músicas da igreja, às vezes algum forró ou bailão (pula esses), e, para matar-me, soltam alguns dos nossos preciosos Good Times!
É, não fosse aqueles nossos momentos juntinhos não haveria tanta nostalgia no som cotidiano.
Mas agora estamos separados um do outro - conectados por um mero meio virtual apenas.
E sinto um aperto muito grande - por minha natureza romântica - ao lembrar, através daquelas músicas, da gente e agonizar em plena tarde sem poder fazer nada para aliviar a pressão em meu peito. Isto é um romântico sinal.
Bem, o que eu imaginava antes de tudo parece estar já acontecendo logo de início:
Pois eu dizia: "após a tua partida será: ou saudade ou esquecimento".
Felizmente o primeiro se mostra presente neste exato momento; mas saiba que estou fazendo certo esforço para que este aperto interior não faça parte dos meus dias de ultimamente; porque tu estás num plano concreto, numa rotina que vai levá-la para longe mim até o lugar em que a tua escolhida sina profissinal o decidir. Assim o creio.
Realmente nenhuma provação é fácil; tampouco é agradável. Mas a experiência é o que conta lá na frente. E é nisto que me apego agora.
Alguma coisa irá acontecer a partir de toda esta nossa história juntos. Disso eu estou certo.
Assim como estava certo na história de antes.
O problema é saber qual coisa.
Mas saiba, acima de tudo, que senti até mesmo a tua fragrância, o teu perfume, só de ouvir uma canção. Significa que marcaste em mim uma emoção. E a tua partida deixou um espaço na prateleira interior de meu ser, a qual só pode ser preenchida com estoque único. Pois do Distribuidor do Céu só há uma amostra de cada mercadoria = tu és única para mim.
Coisa alguma irá abastecer este lugarzinho onde somente tu cabes aqui dentro.

"Da aurora espero paz e aconchego
Do sol, luz e calor
Da virtude fazer ferramenta
Pra viver plenamente o Amor!"

Brilhe, ó minha estrela do Oeste
Brilhe alto no céu de meu ser
E complete o lugar na cúpula onde nasceste
Toque em mim como toca a luz solar
E à noite, como toca a luz do Luar
Sejas plena de graça e carinho
Reluzente por este caminho
Onde a sós vamos caminhar
Que tua vida seja enfeitada
Com poesias que irei já compor
Com acordes de sexta e de nona
Só pra ver teu sorriso em rubor
Um morango é tua face rosada
Qual goiaba o sorrir que me vem
Separado só canto calado
Vem pra mim...
Vou chamar-te meu bem!

Um comentário:

K. disse...

Estou deixando um comentário só para dar um sinal de vida. Amor!!!!!!!!!!!!!!
Esse post me comoveu muuito, estou até com vontade de escrever agora, vou para o meu blog. Leia, quando puder.