sexta-feira, 12 de março de 2010

Esboço "contífico"

Ele testemunhou Tudo. Mas seus olhos se recusavam a crer no que haviam visto. Para ele era simplesmente inacreditável; indizível; inexplicável. Uma coisa muito estranha havia acontecido bem diante de seus olhos.
Mal conseguia respirar enquanto tentava explicar fragmentos de seu estapafúrdio testemunho.
Ele era um homem. Mas um homem de Arte. Sentia a vida pulsar em suas veias. Como se sua alma sussurrasse a todo momento em seus ouvidos que estava viva, absorvendo a existência com ele.
Tinha tantos sonhos, pensava em tantas coisas diferentes para seu distante ou próximo futuro.
Mas aquilo que lhe acontecera mudara completamente o rumo de sua vil e sensitiva existência.
Ele testemunhara um fato. Uma história. Uma sina. Uma estranhíssima novidade.
E por mais que tivesse espírito para suportar diversas cenas estranhas pela vida; por mais que fosse um pleno artista, não conseguira evitar uma drástica mudança em seu interior após aquilo.
O dia acabava de receber

Nenhum comentário: