terça-feira, 30 de março de 2010

Filosofia da Indústria

A cada segundo milhares de produtos estão sendo embalados, empacotados ou encaixotados nas indústrias pelo mundo afora.
Esta é uma rotina mecanizada pelo sistema capitalista e/ou conformista dos homens. Produtos não possuem "estória" e sim uma função temporária e descartável (no caso da maioria dos embalados ou enlatados nos meios de consumo alimentício).
A vida, no mundo comercial, é assim. A indústria é um mega-sistema (capitalista).
E se fosse para filosofar sobre ela poderíamos dizer muitas coisas interessantes ou entediantes - ou talvez inconformantes e até alarmantes.
A indústria mecaniza de tal maneira a confecção dos diversos produtos que consumimos diariarmente que chega a gerar uma espécie de "Produtos-Zumbis".
Utilizo o novo termo para tentar expressar uma característica de algo que se faz presente sem nenhuma estória humana para contar. Veja bem, eu disse "humana", pois os produtos enlatados são manipulados por mãos robóticas, e não há nada de artístico ou artesanal nesta história.
Na verdade não quero focar numa crítica em cima do fato de os produtos serem ou não manipulados artesanalmente pelas mãos humanas. Quero apenas trazer à tona uma comparação sobre este assunto e a nossa vida fora do comércio - se é que existe vida fora do sistema capitalista hoje em dia.
Analisando o que o capitalismo obriga a indústria a fazer em sua forma de produção em massa (pois de outra forma não seria possível atender à demanda consumista) gostaria de levantar uma observação crítica sobre nosso mundo social como se encontra nos dias atuais.
Pergunto se o que as faculdades fazem com seus respectivos discentes, isto é, se o que estão formando, não é equiparável ao que as indústrias fazem com seus produtos enlatados, mecanicamente confeccionados!
E aponto para o fato de que o sistema acadêmico-industrial, num todo, parece ter se estagnado, bitolado, alienado. Falo acadêmico-industrial por observar que nas salas de uma faculdade os professores não parecem preocupados com o desenvolvimento de cérebros pensantes, criativos, críticos, mais humanos; mas sim de produtos (alunos) que logo receberão o "rótulo" de fábrica (da faculdade onde estudam), ou seja, o tão almejado diploma, para sair pelo mundo a bater no peito e se intitular alguma coisa.
Professores repassam conhecimento como se estes fossem produtos embalados que não são deslacrados para consumo pelos alunos - que logo após se formarem, no caso dos pedagogos, transmitem o mesmo conhecimento ainda embalado para seus futuros alunos.
Não se toca no conhecimento. Não se compreende o sentido de ensinar. E não se compreendendo, é impossível criar valores adequados para uma sociedade saudável ideologicamente.
Quando um professor estuda um tema para ensinar, deve "tocar" o tema, desembalá-lo, e, com sua própria impressão digital transmití-lo ao aluno. Pois é assim que o bom mestre deve ensinar.
Deve-se transmitir daquilo que se tem. O professor precisa formar um novo pensador, crítico, artista, cidadão. E para isto deve mostrar exemplo em si mesmo.
Quando falo da impressão digital do próprio tutor, falo em ser original na maneira de educar.
Não podemos ser como uma indústria que enlata, embala, e transmite mecanicamente o produto a ser consumido.
Não se pode fabricar professores, nem médicos, nem qualquer outro gênero profissional; deve-se criar novos cidadãos na arte do trabalho.
E assim, de modo artístico, tocar a vida adiante.
Somente aqueles que conseguiram superar o sistema bitolado deixaram seus nomes registrados nos livros de história.
Somente aqueles que sonharam mais alto e tocaram naquilo que lhes veio "embalado", ou seja, aqueles que "consumiram" o conhecimento em seus espíritos, mostraram como se trabalha com Arte nesta vida!

2 comentários:

K. disse...

Amo-ooooooor!!!! Voce salvou meu dia com esse post!!! Sabe, o Vinicius esta precisando muito da minha ajuda e da minha companhia nos intervalos das aulas... Ele anda muuito nervoso e estressado com a quantidade de exercicios e tals... Eu tenho certeza de que estou desembrulhando os pacotes de informacoes que sao lancados a mim, ja ele esta "engolindo" sem digerir e isso e peeessimo. Acho que essa sua relfexao vai ilustrar bem o que ha dias eu to tentando mostrar pra ele. AE! Viva o altruismo!!
Bjao, Te amo!

Leandro Vieira disse...

;)