terça-feira, 16 de março de 2010

Os 3-mesistas

A afetividade é a lente que filtra a imagem do nosso espírito, expressada de nosso interior para o exterior.
Sendo assim, só posso dizer que é uma questão de "aceitação" muitas das coisas humanas.
Basta compreender que cada pessoa, em sua idiossincrasia psíquico-espiritual, tem uma lente de aumento diferente para cada problema da vida. E isto significa que não devemos julgar o comportamento de ninguém sem, antes, conferir a personalidade e características particulares que se apresentam em cada um de nós.
Amor, o que quero dizer é que nossos debates sobre nossas personalidades, nossas maneiras particulares de agir e reagir aos demais eventos do cotidiano, que tanto perturbaram-nos em tantas vezes, não tem fundamento o suficiente para ser algo relevante.
O que penso agora é que a tua maneira de se expressar, de sorrir, de chorar, de cantar e rezar, vêm sempre da fonte afetiva que te concerne.
Por outro lado minha afetividade possui características manifestativas bem diferentes das tuas.
Nisto posso incluir a forma de "inquietação distancional" comentada anteriormente aqui. E "N" outros assuntos relativos a isto.
A verdade é que a afetividade é o que causa a maioria dos problemas emocionais. Se a afetividade é algo extremamente ligado ao emocional no homem, e se ela é quem determina a profundidade da experiência de vida de cada um, então tudo se resume em Emoção.
E nós sabemos que o sonho dos maiores filósofos da humanidade era obter o controle de todas as emoções pela razão suma.
Mas se a afetividade, em qualquer momento consciente, vem antes da reflexão (filosófica ou não), como a razão poderá interferir (e dar controle) no processo emocional que "já está" em ação num indivíduo?
Complicadinho, não?
Bem, para mim isto é mais que verdade. Pois antes mesmo de pensar em ler, dependo da emoção que estou sentindo no momento em que penso em buscar um livro na prateleira.
Só que às vezes na vida não podemos esperar sentir vontade ou qualquer sentimento para tomar a iniciativa sobre algo. Veja as provas escolares, por exemplo: precisamos estudar para elas "independente" de querer ou não.
Logo = a razão é posterior à emoção.
Eu sinto angústias quando meus interesses estão bloqueados de virem a mim. Se tu és do meu interesse, infelizmente tenho que lapidar meu espírito para aceitar que estarás sempre ai, e eu aqui.

Como o Calil mesmo disse hoje: bem-vindo ao bando dos 3 mesistas.

Um comentário:

K. disse...

Mmmmm... interessante...
Tudo realmente se baseia na afetividade de cada um, principalmente quando se trata de um ser tão emocional quanto você e tão temperamental quanto eu. Sentir não é o problema, o problema é deixar-se levar TOTALMENTE pela emoção sem pensar nas consequências (aí é que entra a razão e creio que no meu caso ela seja um pouquinho mais evidente).
E...
Só por curiosidade...
Amor, quem são os três-mesistas?