quinta-feira, 11 de março de 2010

Supremacia Divina - Reflexão Teológica

Deus...
Meu Deus!
Nosso Deus!
Como pode?!
É tão sublime, tão infinito!
Tão imprevisível (claro, Ele é Ele neh), insondável, impensável...
Mas, ao mesmo tempo, dá-Se a conhecer por diversos meios; e o principal deles, com certeza, é a Vida em si.

Deus é tão Deus que é capaz de conceder e/ou criar até mesmo a possibilidade de o homem pensar que Ele não existe, ou coisa parecida - e eis que assim surge, quando na posse desta primeira possibilidade: o pecador ignorante, um certo ateu.
Nosso Senhor é tão misericordioso que concede também liberdade o suficiente para traí-lo ou desobedecê-lo diante de sua Santa Lei - conferir Gênesis, Adão e Eva.
E o homem pode até ficar em cima do muro, praticamente confuso perante a vida - dai surge o agnóstico, farinha do mesmo saco que Pôncio Pilatos.
Não precisamos de mais exemplos para qualificar o Senhor. Sua Criação é plenamente Santa qual o Criador.
Mas ai um espertalhão poderia afirmar sarcasticamente "e como você me explica o mal no mundo então?"
Mais uma vez seria repetido, só que com outras palavras, por mim:
Deus criou tudo e todos os sistemas que existem. A Natureza é Divina só pela comparação com o Caos. Então isto significa que tudo converge para o Bem supremo?
Sim e Não simultaneamente!
Sim: porque Deus jamais criaria algo que não "contivesse" Sua Impressão digital Sagrada.
Não: porque o homem "ganhou" um tal de livre-arbítreo e, com isso, a possibilidade de pecar e MANCHAR a grande obra Divina com o Pecado!!!
Entende o tamanho do disparate existencial?
O homem...
Sim, falo de nós! Cabeças-duras! Hipócritas... Mesquinhos... Fracos de Fé... Ignorantes existenciais... etc..etc..etc!!!
Temos uma dádiva que jamais deveríamos sequer pensar em usufruir= desviar da Santa Lei.
Temos todas as ferramentas que Divinamente o Pai nos concebeu. Mas a maneira como iremos utilizá-las perante o teatro da existência já é outra história. E dai surge o ato de pecar.
Mal-uso do lívre-arbítreo = Pecado!!!

Nenhum comentário: