quarta-feira, 31 de março de 2010

Um Garoto

Ele gostava de brincar na chuva, de pular nas poças d'água, de se lambuzar na lama. Nos dias de sol gostava de soltar pipa, trepar em árvores, tomar sorvete ou ouvir seu querido avô tocar acordeon na varanda.
Adorava pamonha, doces e confeitados. E aos sábados de manhã gostava de assistir desenhos animados. As vezes também gostava de ir pro quarto pintar seus desenhos com aquarela ou guache.
Gostava de acordar até mais tarde aos domingos. E depois de se levantar, ia direto para a estante da sala de estar e pegava uma revista em quadrinhos que logo devorva em poucos minutos. Ele também adorava ler. Mas não lia só quadrinhos, lia literatura também. De nacional a estrangeira.
Era muito elétrico, e vivia tudo com muito pique, sempre bem animado.
Durante o ano mal podia esperar pelo Natal ou a Páscoa: por causa dos presentes e do chocolate, claro.

É... Realmente era um garoto feliz. Ativo em todos os episódios
clássicos que compõem a infância. Aliás, em cada um deles, participava com todo o seu ser.
Rodeado de amigos. Era sempre querido; saudável como um atleta. E se você lhe perguntasse o que mais gostava de fazer, diria que subir o pé de manga nos fundos do quintal era sua atividade favorita; porque lá ele podia contemplar o nascer e o pôr do sol todos os dias. E, para ele, aquilo sim era a verdadeira mágica que mais lhe encantava os olhos.

Mas este já não é ''este''. Agora é ''aquele''. E aquele garoto já não brinca mais na chuva. Já não pula nas poças d'água; já não se lambuza mais de lama e nem come doces ou assiste desenhos animados aos sábados de manhã.
Agora aquele garoto é este homem. E este homem acorda cedo todos os dias, mas não para ver o nascer do sol. Ele acorda para trabalhar. E em seu trabalho ele vive trancado e sem vistas para o céu ou as nuvens. Não tem mais tempo de pensar no Natal nem mesmo no chocolate.
Este homem mudou bastante. E hoje tem muita história para contar. Talvez até histórias que sirvam para garotos ou garotas ouvirem e se deliciarem. E quem sabe não seja esta a nova sina daquele garoto.


Um comentário:

K. disse...

Ha um toque auto-biografico no tal garotinho ou e impressao minha?
Otimo comeco pra um romance infanto-juvenil, sua cara: rico em detalhes...