sexta-feira, 16 de abril de 2010

Dos Objetivos e Metas ao Sonho

Ouço falar por ai que todo mundo tem que ter objetivo na vida. Que é preciso metas bem calcadas e centradas definitivamente. Que se você não tiver planos bem elaborados e pré visualizados em sua mente, com certeza irá sucumbir em algum leito caótico de frustrações.
É. Ouço falar mesmo. E parece que é verdade. Afinal, tudo o que o homem fez ou faz depende do que é planejado antes. Se vai construir uma casa, precisa da planta e dos esboços por primeiro. E para qualquer outra atividade é necessário uma "pré" no quesito "abstrato" da coisa.
Digo que é verdade por sentir na pele as consequências de quem não possui metas bem centradas. Não sou uma pessoa que se organiza muito bem. E isto se mostra exteriormente em meu quarto (risos). Mas também não sou um lunático que não sabe fazer nada direito. Sei escrever um pouco. Sei desenhar. Sei tocar (ou melhor: arranhar) um ou outro instrumento musical. Mas a questão é que, no quesito mais importante, ou diria "prático" da vida, é onde peco mais.
Não sinto que estou planejando muito bem meu futuro próximo ultimamente. E falo ultimamente para traduzir uns 6 anos que já se passaram apenas à mercê do presente (e mal vivido psicologicamente).
Por isso trago a reflexão sobre as metas e objetivos. Pois tudo isso convergirá na questão do "Sonho".
Sim. Pois o sonho é a cenoura na ponta da vara de pescar que o coelho pendurou sem refletir direito e que vive a correr atrás. Mas a felicidade verdadeira e genuina consiste em NÃO questionar o fato de a cenoura estar ou não na vara. Isto já percebi.
Então, ultimamente estive ocupando minha mente com abstrações sobre o futuro. E pensando sobre como deverei estar daqui a uns quatro ou cinco anos. O que estarei fazendo. Como estarei enfim.
Percebo que quando visualizamos o que queremos fazer, as coisas melhoram em grande escala. E quando conseguimos a proeza de alcançar o abstrato de nossas metas na realização das mesmas, só assim somos felizes autenticamente.

2 comentários:

K. disse...

Hmm...
Sinto um amadurecimento no ar.

Natália disse...

Ideia fixa!