segunda-feira, 26 de abril de 2010

Meu Bem


Não sei porque, mas sinto que tudo o que tenho que dizer agora é que "eu te amo".
Sei lá. Algo me diz que cheguei a isto a custo de muita saudade (ansiando profundo em reencontrá-la novamente).
Isto porque meu bem está lá fora, enfrentando o temporal. A balbúrdia. A poeira. O caos. Eu estou aqui dentro, olhando pela janela, e esperando angoniado pelo momento do nosso beijo e do nosso precioso abraço. Deitadinhos. Só para envolvê-la em meus braços denovo, e mostrar o quanto a amo. Do fundo do meu coração dizer que tudo isso é a pura verdade.
Neste amor só há o desejo nato de se ver feliz a quem se ama. E como quero vê-la feliz. Sorrindo copiosamente. Distante em alegria. Deixando seus lindos olhos cintilarem de emoção. Esta é a minha missão e meta eternas.
O amorzinho da minha vida é calmo, sereno e gentil. Mas mesmo aparentando ser assim, sei que também precisa de cuidados porcelânicos. E me arrepia a espinha a cada vez em que piso na bola, ou quando deixo de fazer algo que deveria fazer em tal e tal momento. Isto me frustra. Pudera: vivo de passados.
Mas sei que podemos superar estes incidentes lastimantes. E, acima de tudo, podemos nos reconfortar no Amor que sentimos um pelo outro. Pois ela me conquistou com seu jeitinho de ser. É único pra mim. Não troco. Não vendo. Não dou. Não deixo...
Nham!!!!

Um comentário:

K. disse...

"Não troco, não vendo, não deixo nãoooo!!"
Te amo, meu gatinho safadoo!!