quinta-feira, 6 de maio de 2010

Refletindo sobre os Infiéis de Platão

Ontem fiquei um tanto abalado com um fato intrigante. Um antigo conhecido meu apareceu no local onde trabalho e, após eu cumprimentar uma amiga minha que passava e acenava à distância, pertuntou quem era a gatinha. Ao chamar-lhe a atenção pela brincadeira e pela sua idade e situação de casado (claro, eu estava brincando com ele de certa forma), este me contou ter sido mandado embora de casa pela mulher; e até mostrou-me o dedo anular sem aliança.
A princípio não acreditei nele. Pois sempre fora brincalhão e cheio das malandragens. Conheço sua família desde quando eu tinha 16 anos e não seria lógico uma separação conjugal dentro daquela.
Mas ocorreu.
Sua esposa teve uma discussão com ele acusando-o de traição.
Claro que negou tal atitude. Mas o fato é que este meu amigo decidiu ouvir os brados furiosos de sua esposa e saiu de casa.
Ao me narrar deste lamentável incidente ele confessou que ficara com uma "mulher", como sua esposa já suspeitava, mas enfatizando que com "garotas" ele realmente não saíra.
Mas poxa meu, de fato ele pisou na bola então!

Enquanto ouvia aquele testemunho infeliz, pensava em mim, em meus sonhos matrimoniais, em minhas metas para o futuro; e ficava cogitando"nossa, como pode um casamento vivo a tanto tempo desvanecer assim!?".
Então refleti sobre esta questão por um tempo e cheguei à conclusão de que somos nós que fazemos a história de nossas vidas.
E por mais óbvio que isto seja, deve ser repensado e ruminado sempre.
Se queremos fidelidade, devemos "determinar" com tudo em nós. Não podemos fraquejar por minúcias ou pormenores insignificantes.
Não é bom deixar pequenas coisas atrapalharem nosso modo de viver.
É preciso averiguar se tudo está em ordem, sempre, e cuidar bem.
Pois basta um cisco para que a visão se perturbe e faltemos com a visão.
E não devemos esquecer, JAMAIS, que pequenos furos AFUNDAM NAVIOS!!!

Um comentário:

K. disse...

E é revoltante o fato de serem veiculados - em horário nobre - casos de traição, sacanagem e besteiras na TV com desfechos geralmente débeis ou cômicos. Como é diferente na vida real...