sábado, 31 de julho de 2010

Coração Pirata

Coração errante
Rédeas nas mãos
Esporas nos pés
Como te atreves
A ser como és?

Escravo me faz
Das tuas paixões
Desejos sem fim
Tão vãs ilusões

Às vezes me pego
Sonhand'acordado
Pensando na vida
Pensando em meu fado

Coração pirata
Onde stá teu cérebro?
Teu Rei governante!
Não mais teu mandante?
Onde stá tua verdade?

Escravos nós somos
Das tais emoções
Que vêm dos tão cegos
Dos vis corações

Nenhum comentário: