quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Polêmica

Hoje eu gostaria de comentar sobre um assunto polêmico. Um assunto contemporâneo e de extraordinária importância social. Quero falar um pouco da política em relação ao movimento gay na sociedade.
Em primeiro lugar, não quero aqui defender nenhum tipo de opinião em relação ao assunto, tampouco falar sobre como deveria ser a humanidade ideal para se viver.
Pois falar dos "como-deveria-ser" é falar de opiniões particulares, e hoje quero apenas expor fatos e, a partir destes, fazer uma breve análise crítica.
Como dito, não tenho a intenção de dizer o que é certo ou errado na cama, mas gostaria de abordar a questão político-social concernente ao poder.
É sabido que o movimento gay busca conquistar um "lugar ao sol" das diretrizes legislativas, isto é, um patamar legal de coexistência social. No entanto, este "lugar ao sol" requer medidas que mexeriam nas configurações legislativas de modo a, consequentemente, afetar o bom convívio entre os cidadãos heterossexuais.
Por que se diz que iria afetar o convívio hétero?
Simplesmente porque a polícia teria de prender muitas pessoas por acusação de "homofobia" - preconceito ou rancor deliberado ao homossexual.
Claro que seria muito bom que houvesse justiça perante qualquer espécie de preconceito. Mas com tal legalização, se pessoas como os católicos, por exemplo, apenas mencionassem o que sua religião prega há milênios sobre o homossexualismo seriam processadas pelos gays por se oporem ao movimento, e, portanto, à nova lei.
Entendem aonde quero chegar?
Bom, se ainda não está claro, darei continuidade ao raciocínio.
Repito que não estou manifestando ódio, nem mesmo preconceito com relação à relação homossexual, mas estou me opondo a busca por direitos que, se aprovados, violarão a lógica.
Para entender com maior profundidade do que estou falando, note-se o seguinte. Se você perguntar a um gay o que significa para ele "Navio Negreiro", como sugere Olavo de Carvalho, com certeza ele saberá do que se trata. Pois tal termo refere-se a uma sauna onde vários gays frequentam para transarem com pessoas que nunca viram na vida. Uma verdadeira orgia.
Agora acompanhem-me o raciocínio de revolta: se dentro de uma relação hétero temos leis que dizem o que é correto e o que é sem-vergonhice, como no caso de um marido que trai sua esposa com a vizinha ou coisa parecida, POR QUE cargas d'água dentro do relacionamento gay TUDO tem que ser sacrossanto e bem visto pela sociedade? Temos que educar nossas crianças dizendo que TUDO o que os gays fazem é normal? Sacrossanto? Igualzinho uma relação de papai-mamãe?
Ora P***a!!!
Digo isto pois sei que a possível aprovação das atitudes gays de forma legal dirá que é preconceito chamar um lugar como o "Navio Negreiro" de sem-vergonhice.
Repito novamente. Dentro de uma relação hétero existe nitidamente a diferença entre uma relação matrimonial e uma relação de gandaia. Agora, dentro da relação homo, estão nos querendo fazer crer que TODA relação é coerente, aceitável, legal.
Mais uma vez: Ora, P***A!!!
Se na relação hétero existe o que é matrimonial e o que é sem-vergonhice, dentro da relação gay TAMBÉM tem que haver a distinção entre o que é matrimonial (se é que isso é possível) e o que é safadeza.
Estão (os gays) querendo nos impor que TODA relação homossexual é moral e correta. Sendo que dentro da relação hétero não é assim. Temos distinções.
Isto é um crime, é uma imposição iminente. É o fim do mundo.

Temos que ter em mente o que é certo. Temos que buscar o que é pertinente, lógico, o que é saudável. Não podemos fechar os olhos para esta questão. Os gays no poder, ensinando nossas crianças a fazerem práticas homossexuais NÃO é legal. Nem legal perante as leis, nem legal perante à natureza.
Não estamos discutindo se existem casais gays que respeitam-se mutuamente, que são fiéis entre si; estamos discutindo a opressão gay perante a sociedade.
Estamos passando por um novo império, onde as coisas estão perdendo seu valor. Está-se invertendo as coisas.
Não devemos ser radicais ao ponto de perdermos nossas essência que é Deus, amor, paz, fraternidade e dignidade.

2 comentários:

K. disse...

Parabéns pelo seu discurso moralista, amor. Para você e para a maior parte da população brasileira, TODA relação homossexual tem como base a promiscuidade; não há sentimentos. OK, será melhor conversarmos sobre esse assunto pessoalmente ou numa outra conversa de msn, mas vai aqui uma dica: você irá ministrar aulas de redação, será professor. JAMAAAAAAAAIS poderá expor esse seu pensamento diante da sala, porque você não sabe se na turma terá um gay, ou se algum ente querido de um dos alunos é homo e mais, como mentor, você deverá apenas instruir seus discípulos de métodos argumentativos, não influenciar suas opiniões. Assim como um professor de história NÃO pode influenciar a visão política de seus alunos, pois seu papel é apenas mostrar e esclarecer os fatos.

Leandro Vieira disse...

Acho que não fui claro ao dizer sobre "opiniões" no texto.
Terei de reescrevê-lo para demonstrar do que estou a falar?
Ora, o "Navio Negreiro" é um exemplo de promiscuidade, ou amor?
Os fatos falam por si.