terça-feira, 12 de outubro de 2010

Repousando


Oh! leito divino que és;
Teu colo é o refrigério de algo em mim: meu coração!
Vivo templo onde habita o Espírito Santo,
Tua face, teus olhos, teu olhar...
Mergulho profundo em que me encontro unido a algo maior!
Por isso quero dizer-te...
Quero sussurrar-te...
E cantar a beleza deste momento:
Passeando por entre as flores de um lindo jardim;
Quero então levar-te algo que encontrei neste lugar magnífico.
Pois lá daquelas escadas, contemplei a face serena...
Ouvi a voz do Pastor que guia suas ovelhas perdidas...
E a ti, oh primavera do meu coração,
Ameno alívio de meus solilóquios...
Quero embalar-te em meus versos mais puros,
Dizendo a verdade, somente a verdade;
E pintar para ti um horizonte nunca antes visto.
De cores nunca antes contempladas...

O eclipse se foi... deixou a luz do sol ressurgir em nossa Terra;
E hoje enxergamos as colinas mais belas que existiam mas que não víamos antes.

Felicidade é saber quem és...
E saber que, por mais que me esforce por ocultar o fundo deste lago, enxergarás a jóia que lá fora colocada.
E por mais que sussurre baixinho uma canção, ouvirás e dirá qual é... do que fala...
E como fala...

L.

Nenhum comentário: