sábado, 2 de outubro de 2010

Um lago raso demais mostra muito do seu fundo

Pensando aqui comigo, como é difícil viver sem machucar algum coração ao nosso redor. Isso parece fora de controle. Mas na verdade é tudo uma questão de compreensão e reflexão em torno dos problemas sociais e interiores que nos afligem.
Num segundo nos sentimos traídos. No outro parecemos os traidores. Isso é bem relativo.
Refletindo sobre esta questão só posso concluir que não é possível deixar de ferir um coração alheio sem que este esteja vulnerável em algum aspecto da vida.
Nossos motivos são, na maioria das vezes, internos. Nossas razões de agir estão intrinsecamente voltadas para o interior. Não dependemos tanto de fatores externos para agir. Pois o que impulsiona nossas ações geralmente parte do interior.
E partindo desse pressuposto, ou seja, de que agimos de acordo com o que sentimos ou pensamos dentro de nós, eu, particularmente, tenho agido por motivos completamente internos. E por "revelar demais" a respeito desses motivos acabei causando uma mágoa alheia num específico coração.
Isso não tem volta, digo, o fato de ter magoado. Mas posso justificar. A questão é se "compensa" justificar.
Há ocasiões em que não adianta explicar as razões de nossas atitudes ou ações para outrem. Há momentos em que, mesmo dizendo a verdade com todas as letras, não funciona do mesmo jeito.

4 comentários:

K. disse...

NÃO precisa se justificar de nada! Você já tem 25 voltas na Terra. NÃO deve sentir qualquer ressentimento. (Se não pensou para sentir, vai precisar pensar depois que sente? Conta outra!) Vê se de uma vez por todas VIVE a sua vida sem ficar se preocupando com os outros. Eu faço parte do seu passado. Seja lá o que você vai fazer daqui para frente, FAÇA, viva o seu PRESENTE.

E você, dona Letícia, vê se pára com essa putaria de ficar se escondendo dos seus sentimentos (ou brincando com os sentimentos dos outros). Caso você sinta pelo Leandro o que diz (ou dizia, não sei)que sente, fique com ele de uma vez por todas. Você sabe muito bem que ele é ansioso, que nunca te esqueceu e sabe muito mais que eu que ele te ama. Vai ficar nesse chove-não-molha de bilhetinho no Bag do teclado dele e recadinho em Blog até quando?

K. disse...

Só uma pergunta: você percebeu que sempre tem um "será que 'compensa'fazer tal coisa"? Se compensasse alguma coisa, você teria se resolvido antes. Como o que "compensava" você não podia ter mais com muita frequência, então não compensa. É como eu sempre disse: é simples... Ou é, ou NÃO é... Não tem essa coisa de compensa ou não compensa; isso é encheção de linguiça.

K. disse...

Ops, desculpa... Eu havia me esquecido que é "desse" jeito que vc gosta. Eu que to de abelha aqui... Bem, acho que um ano de "intervalo comercial" é um bom tempo para o retorno do "Grande Ato". Até nessa hora minha deixa é furada. Mas é isso aí...
Cracket! Cena 2.

Leandro Vieira disse...

... .... ....
Essa foi (inesperadamente) de-lascar!