sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Uma Viagem Poética


O que se pode fazer?
Se o olhos tocam sinfonias...
Se nestas mesmas melodias
Encontro um sonho de Deus?
Está passando o inverno,
E já chegando o verão...
Contigo vejo o silêncio
Gritando no coração!

O que se pode fazer?
Quando a verdade é já óbvia...
E o que está dentro está fora...
E o que não foi nem embora
Voltando vem em nossa direção!?
Oh! Céus! O mundo está rindo,
Da cara feita às estrelas...
Do que falei cochichando,
Pensando não ser ouvido...
Um Lírio bem dedo-duro
Falou pro grande Carvalho
No dia em que fui buscar
Molhado inteiro em orvalho
Deixei minha poesia lá dentro
Daquela toca de coelho...
Esperando o sol renascer
E me mostrar qual espelho
Sim! a Aurora a trouxe de volta...
Oh! musa...
Não há revolta...
Não bata a porta...
Deixe-se tocar pela brisa!
Pois amanhã a estrada continua para nós...
E podemos viajar para lá, além do horizonte!
E verás a Luz de mais um dia feliz.
E terás poeira para bater dos pés...
Desfaça-se de toda sujeira
Naquele lago onde mergulharemos depois...
E assim, purificados, cantemos
E dancemos os dois!

Nenhum comentário: