segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A Princesa Enclausurada


O rei aprisionou a princesa nas masmorras reais
Disse a ela que o guardião de sua beleza não poderá vê-la jamais!
Tocou em suas feridas filiais, abrindo-as novamente...
Desmerecendo até mesmo a sua condição real de princesa!
Oh! triste evento!
Triste saber!
Por que desse jeito?
A princesa se vê perdida em meio à tantas correntes...
Ao redor: um quarto esguarnecido...
Das masmorras ela pensa no que acontece;
Tenta refletir sobre os porquês e para-quês...
Busca razões para tanto aperto...
Tanta provação!
Do seu leito o guardião rumina sentimentos e pensamentos.
Comparando a importância que ela tem e a dificuldade em se chegar a ela.
Oh! como é difícil tanta beleza!
Tanto querer!
Tanto gostar e amar!
Por todo esse tempo que se enclausuraram de si mesmos...
No deserto dos corações...
Buscaram a verdadeira felicidade, mas a dúvida crescera mais ainda.
E uma chama se mostrou acesa, apesar de tudo...
Ela sabe disso...
Ela percebeu!
Apesar das paredes frias da masmorra de sua proibição...
Ela sabe!
E ele apenas observa, ao longe, seus cabelos sendo tocados pela brisa...
E seus olhos apenas confessam um sentimento real, autêntico...

Olhando para o céu, ele diz:
"Senhor, Senhor! está em Tuas mãos... pois faremos a nossa parte!
A consumação dos fatos vem do alto!"

2 comentários:

**Spulen** disse...

Eu Te Amo!

Leandro Vieira disse...

Isto penetrou tão profundo...
Tão profundo quanto o meu mais íntimo EU.
E queimou-me o peito...
Só Deus sabe o quanto!



MUITOOOOO!!!!

Você.....

Você....
Ah!
** ** ***!