segunda-feira, 10 de maio de 2010

Cogitação


"Ser professor é uma aventura constante" - disse-me uma professora do meu curso.
"Quero só ver como será esse negócio de dar aulas" - eu disse enquanto ela, a professora Maria Elisa (de literatura britânica), se encontrava perto de mim na minha sala.
"Ah! e não vai demorar muito" - respondeu-me ela. "Você verá só como é uma aventura".

Sabe, hoje começo a refletir um pouco mais pausadamente sobre minha vida atual. Quantas coisas já aconteceram. Quanta mudança. Quanta tempestade passada. Quantos sonhos construídos e que ainda esperam pela concretização.
Parece que foi ontem que ainda dizia "vou fazer vestibular e começar minha faculdade; não vejo a hora".
O tempo passou e hoje já me encontro no terceiro ano, o penúltimo de meus estudos superiores primariamente falando.
Olho para frente e vejo o horizonte. Imagino aquelas salas de aula. Oitava? Sétima? Primeiro ano? Terceirão? Qual será a aventura?
Que tipo de desafios encontrarei? Quais as maiores dificuldades "para mim"?
Que prazeres despertarão em meu ser...
Ensinar...
Ah... Ensinar!
Nunca me imaginei assim antes. Talvez um filósofo ou crítico. Mas agora é assim como devo visualizar meu futuro. Um educador. Um formador de mentes e opiniões. E posteriormente, quem sabe, um futuro Psicólogo clínico.
Mas tenho de organizar a minha vida primeiro. Preciso muito disto. Colocar as coisas em seus devidos lugares. Mensurar bem o meu tempo. Minha agenda. Minha cadeia de pensamentos e devaneios; enfim...
Depois de tudo isso é hora de pensar na futura família. Nos filhos. No futuro cachorro (Loki) e no futuro gato (Sméagol, hehe). Na relação com minha futura esposa.
Sabe, esses dias andei rabiscando a página de um bloquinho de notas inteirinha só com os nomes Alice e Sofia. Acho que Deus vai me abençoar com duas filhas no futuro, e gostaria que tivessem esses nomes, hehe.
Alice porque significa "A Verídica, Sincera", e Sofia porque vem de "Sabedoria".
Ambos os nomes provém do grego.
Então, assim fico pensando por aqui...