sexta-feira, 4 de junho de 2010

Leito de Devaneios

De repente um corpo, noutro corpo se encontra e refestela. O cobertor ganha um segredo para guardar. As paredes ouvem palavras sussurradas que flutuam no ar.
Quem são senão os próprios amantes de suas estórias?
Panos pelo chão narram metade do segredo. O silêncio é mistério somente por um segundo...
E lá estão eles, num leito de amor e de devaneios. Qual motor apenas se aquecendo...