terça-feira, 5 de outubro de 2010

Desesperadamente

Para quem estenderei a mão?
Quem ouvirá o que tenho a dizer?
Alguém teria a solução para meus problemas?...
Jesus... meu Senhor, ainda não está claro.
Dá-me conhecer dos Teus planos para minha vida...
Porque está tudo tão nublado aqui dentro...
Não me sinto resolvido por dentro!
O que se passa aqui?
Senhor!
Minhas palavras não encontram ouvidos para ouví-las
Meu clamor é somente para Ti, Senhor!
Não há solução!?
Não há solução?!
Senhor, tirai de mim a sede se não posso beber daquela fonte!
Pois um dia provei e quis mais...
Dá-me da Tua água somente, porque estou perdido se não for assim!
Pois sei que há um desfecho para esta sensação, para esta sina.
Mas preciso de um pequeno vislumbre daquilo que hei de vivenciar ao partir desta vida.
Santíssimo Sacramento, queimai meu coração!
Em nome do Amor.

Desabafo

Pensando sobre os últimos dias vividos meus olhos se enchem de lágrimas. Pois não encontro respostas em lugar algum. Para onde quer que eu olhe só vejo brumas de incerteza. E não há um caminho seguro para seguir.
Não sei ao certo o que devo fazer com o que estou sentindo.
Dizem que devemos pautar nossas vidas pela razão. E eu concordo plenamente com isto.
Mas nossas emoções são frutos de nossas razões também. E por isso, o sentimento é um auxiliar da razão nas escolhas de nossas atitudes. Posturas. Ações.
Preciso tanto da luz celeste em minha vida. Algo que resolva o dilema que há em meu coração. Mas não sei o que fazer para assimilar as coisas certas.
Não ao certo o que deveria dizer aqui. Mas parece que estou numa fase de transição.
Deus tem alguma tarefa para eu executar. Preciso antes de meus empecilhos pessoais me desvencilhar.
Quero escrever minha sentença de alegria. Só que não sei ao certo as palavras a colocar no papel.
Preciso tanto de Ti oh Pai!