quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Reflexo Postal

Qual a minha estratégia? Para o quê, especificamente?
Para o inesperado?
Que inesperado, especificamente?
Minha defesa contra problemas inexplicáveis?
Hmmm...
Postagem no mínimo difícil.

Agora quanto à mudança ocorrida em seu interior, e em relação à "nova frieza" dentro do seu coração...
Não! eu não te mandaria para um curso de Matemática só por um "amadurecimento" no jeito de viver e encarar as coisas da vida.
Tampouco a mandaria "embora", pois as coisas não são tão simples assim. Não é o modo como uma pessoa encara a vida que fará a diferença, salvo se ela mudar a forma de "amar", mas não acredito que seja este o seu caso relatado no post.
Você diz que não vai se entregar... mas ao quê, especificamente? Pois você menciona "ceticismo emocional". O que seria isto?
Quanto a não se deixar levar por "delírios sentimentais", só posso dizer que é complicado quando não nos conhecemos o bastante para afirmar se o que sentimos é paixão ou Amor (com A maiúsculo). Você pode me dizer com posse da afirmação sobre o que sente?
Se não sabemos o que sentimos, como poderemos saber o que Deus sente? Pois Deus nos fez a imagem e semelhança de Seu próprio Coração e Intelecto.
Se a dúvida que te aflige o coração é sobre Deus concordar ou não com o que sentes ai dentro, isto é, com certeza, uma questão de meditação profunda com o Pai. E muita oração e devocional.
Mas lembre-se que Ele te fez tal como você é e sempre será. Deus te deu um coração para amar a Ele e, no seu par conjugal encotrá-Lo para consumar o Amor da Criação.
De qualquer modo, a rixa existente aqui é de cunho psíquico-espiritual entre você e Você.
Pois Deus está, em essência, em nosso interior, e não no mundo externo, como muitos ainda pensam.

Eu poderia dar uns pitacos sobre Amor, como, por exemplo, pedir que você se questionasse, por meio da própria razão, se o que sente tem fundamento racional. Melhor dizendo, se o "objeto-alvo" de seus sentimentos possui as virtudes que você considera "fundamentais para um casamento", digamos assim.
Se a resposta for Sim, então você Ama com A, pois justifica-se e pode escolher estar com este "objeto" amado. Mas se a resposta for um Não, ou seja, se não fizer sentido o que sente, e se não for a pessoa ou ente que você almeja para estar junto, então já não há motivos para aflição alguma. Basta tocar a sua vida como está fazendo.

Visão


Uma princesa existe em algum lugar
encantado pela luz do sol
Que brilha sozinho no espaço
sentindo o amor de alguém no luar...

Amor Pela Fé


Às vezes, ao me deitar para dormir começo a pensar e, pensando, me vêm algumas lembranças no coração. São como pegadas que ficaram não na areia, mas na rocha.
Lembro-me dos dias em que te vi sentada, qual escultura grega, como se feita para ser contemplada apenas. Sim. Sentada naquele singelo banco. Esperando por uma palavra de esperança. Algo que confortasse o teu coração.
E, naqueles momentos, meu coração pulava dentro do peito. Como se fosse explodir. E na mesma noite em que me lembro, meu coração bate um pouquinho mais forte. Simplesmente feliz. Não só pela beleza de momentos como aqueles. Mas pelo fato de que É O Amor que está lá. Não é outra coisa. E a alegria que isto desperta em mim cura qualquer male.
Simplesmente assim: encontrar a Deus nesta vida é aprender a louvá-lo pelas pequenas coisas que nos tocam mais profundamente.
É descobrir que Ele está ali, naquele olhar, naquele abraço, naquele beijo. Em todas as circunstâncias em que podemos nos sentir bem.
E como agradeço ao Pai por isso. Claro que pedindo perdão por não ser digno de tamanho apreço. Por tamanho sentir.
Mas mesmo assim, ouso levantar meus olhos e meus braços para o céu...
E faço a minha prece.
Peço a Deus para que me toque esta noite. E para que Ele sussurre em meus ouvidos uma canção Celeste. Algo que me diga que pela Fé terei o que procuro. Pois pela fé tenho a certeza das coisas que não vejo, daquilo que ainda apenas espero.
Pela Fé.