domingo, 17 de outubro de 2010

Uma Estrela


Estrelas foram feitas apenas para serem contempladas pelos mais lunáticos apaixonados da Terra. Mas há uma estrela que conheço bem. Uma estrela que, no começo, eu via apenas distante de mim, como se brilhasse somente lá na cúpula azulada. Uma estrela que Deus fez cintilar no meu pior momento de angústia e pesar do coração. Quando estava na escuridão dos meus dias.
Este pequeno astro brilhou tão próximo de mim, que sua luz tocou em meu coração. Aqueceu-me o peito, e deu-me motivação para sorrir novamente. E foi aí que olhei para o Céu, e pedi ajuda ao Senhor. Pois quis aquela estrela somente para mim. Não queria deixá-la apenas dependurada no manto celeste, diante do olhar aleatório de qualquer ser.
Mas um eclipse ocorreu durante nossa mais próxima órbita! E um astro obscuro se nos entrepôs. Uma massa de matéria negra, algo nocivo ao espírito, uma depressão inesperada nos acometeu.
Ficamos no escuro, sem uma direção. E assim nos distanciamos...
Mas durante o solstício de inverno emocional em que vivi, naquela nossa separação, aprendi muitas coisas que já havia até esquecido com o abandono de certas práticas.
Aprendi a questionar minhas imperfeições. Aprendi a questionar meus medos mais ocultos. Aprendi a olhar para Céu antes de qualquer atitude ou pedido. A olhar para dentro de mim quando me sentisse triste. E assim fui desenvolvendo virtudes adormecidas. Despertando os carismas antes não empregados no meu cotidiano.

Agora volto a contemplar aquele pequeno astro novamente. Uma estrela que se modificou um pouco em sua nuance e matiz, mas nem por isso menos bela e cintilante. Pois agora ela é uma estrela em órbita de um astro sublime... supremo!
Só queria poder partilhar de sua luz, e fazer desta comunhão um motivo maior para brilhar mais e mais. Louvando o Astro Rei, nosso verdadeiro Senhor cósmico.
Nosso Pai Celeste, Rei dos reis.
Queria poder falar...
Queria poder...
Mas não há palavras que possam esclarecer mistérios presentes...
Não há palavras para elucidar questões que demandam tempo e meditação...
Palavras que reeditam nossos espíritos, mentes e corações.

Sou quem sou, um amante da Palavra, do Amor de Deus.
E morrerei buscando a pobreza de espírito. Almejando encontrar a Paz de quem vive abaixo da Mão-Divina. Buscando a consolação por tamanho fado...
Segurar esta Rosa em meu coração é como sustentar a luz de uma estrela...

Pois por mais difícil que seja, traz um brilho diferente em meu olhar!
E é por isso que lanço minha proposta a ti...
Em breve... o Sol irá nascer sobre nossos corações cansados. E a Aurora irá despertar palavras feitas somente para aquela exaltação mística do Amor.

Mas acima de tudo que seja feita a Vossa Vontade, ó Pai!!!

Alma de Escritor - Inspiração no Jardim Secreto


Todos temos um pouco de escritor dentro do nosso coração. Mesmo que não ousemos escrever no papel ou no computador, pois basta apenas dizer.
Somos escritores com nossas inclinações criacionais. Quero dizer, com isto, que somos, num certo sentido, artistas por natureza.
Eu, por exemplo, vivo em minha própria literatura por aqui. Escrevendo, dia após dia, numa ânsia por novos horizontes. Desbravando montanhas e cavernas desconhecidas com a própria imaginação.
E sou feliz assim. Pois quero comungar para sempre do Amor de Deus, como estou fazendo, e jamais desistir de seguir em frente. Buscando Seus planos com avidez e coragem. Perseverando na Palavra e na Fé, escrevendo e criando, sendo subcriador de meu Criador.

Escrevo porque preciso dizer. Porque tenho de contar alguma coisa de mim. E por não ser minha vocação o silêncio das palavras. Sou assim.
Tenho de mostrar, qual criança, as coisas que me agradam. Das coisas que eu mais gosto e que me dão prazer e satisfação. Gosto de apontar lugares e sensações.
Faço das palavras e das histórias meus próprios brinquedos de infância. Brinco com elas assim como com o pião, papagaio, bola e etc.

Gostaria que alguém pudesse brincar comigo assim para sempre. Neste jogo de palavras. Nesta salada de poesias. Neste mistério entre contos e crônicas.
Pois esta brincadeira é tão prazerosa e divertida. Podemos encontrar novas cores a cada nova frase. E a cada oração...

Mas não escrevo sem motivo. Tenho minhas inspirações particulares. Às vezes universais... Às vezes específicas.
Mas num jardim secreto é onde encontro a verdadeira musa...
Ela sabe...
Ela mora lá...
E está bem guardada.