terça-feira, 26 de outubro de 2010

Olhos e Perspectivas Existenciais


Com que olhos você enxerga a realidade a sua volta?
Já pensou nisso?
Qual o foco de sua visão e por quanto tempo você permanece "sem piscar" numa mesma direção?
É importante saber dos meios pelos quais obtemos o conhecimento da realidade objetiva.
Pois é com o ouvido que conhecemos os sons. Com a língua conhecemos os sabores. Com os olhos podemos ver a realidade imagística das coisas que nos circundam. E assim por diante.
Com que olhos você enxerga a sua própria existência?
Reflita um pouco sobre esta questão e descobrirá que a maior parte dos nossos problemas advém do grau de aumento ou diminuição das lentes com as quais enxergamos a vida.
Peguemos o exemplo de Cristo. Ele disse que não veio para abolir a Lei de Moisés, mas para aperfeiçoá-la. Foi como uma "nova visão" sobre o mesmo foco. Isto revolucionou a religião até os dias atuais.
Com que olhos você enxerga a sua vida?
Digamos que o ser humano é o único criado para a religião...
Não!
Mudei de idéia...
O homem não foi criado para a religião. Porque a religião se traduz numa tentativa humana de restabelecer a ligação primária que Adão tinha, antes da Queda, com o Criador.
Então o homem não foi criado religioso, mas se fez religioso para buscar a felicidade autêntica.
Após a grande Queda do homem, isto é, de nosso pai carnal Adão, o homem se tornou "cego" para a inocência divina. Apesar de ter tido seus olhos "abertos" para o Bem e para o Mal. Isto soa até paradoxo... mas é assim mesmo. Por mais que o homem "conheça" o Bem e o Mal, adquiriu a fraqueza perante este último. Agora temos esta maldita tendência pecaminosa em nossa carne.
Mas tudo bem, o importante é notar que, após a Queda, a única forma de fazer uma reconciliação com o Pai é de maneira religiosa. E é por isso que a religião é a única maneira de moldar-se perante a Vontade de Deus.
Deus nos instituiu a religião como antídoto para o mal do pecado. Através da práxis religiosa, o homem passa a educar-se espiritualmente. Moralizando-se. Compreendendo-se criatura pecadora, etc.
Em suma, a religião é a "lente" para os olhos embaçados do pecador. Com ela podemos enxergar a existência da maneira como Deus a vê. E, no futuro, com a Parusia de Cristo, deixaremos, como no começo dos tempos, de ser religiosos para viver as promessas da religião.