quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Prostração

Eu não sei quando... Nem como...
Mas a Tua resposta virá!
Pois aqui Te entrego a minha vida...
Te entrego os meus planos...
Os meus sonhos!
Te entrego quem eu sou...
E, no Teu altar, eu deposito a minha sina, meu destino.

Consolação ao Coração


Oh! coração
Pobre ser indefeso
Quem lutará por ti...
Se a tua razão, tua irmã, está em batalha
Sim!
Numa arena de morte ela se encontra
Degladiando-se consigo própria
Oh! coração
Pobre ser indefeso
Portador do Amor
Que culpa tens de jazer neste leito...
Enxergando o deserto do pensamento
Enquanto o Sol enferrujado nasce num horizonte opaco
Coração, te prometo
Deixar-te amar
Deixar-te chorar
Deixar-te se alegrar
Pois se fores "puro" verás a Deus!!!
Mas para seres puro
Basta olhar
E se deixar levar
Pelo Amor que te amou primeiro
Não se preocupe, querido coração
O melhor do Pai está por vir
Irmão coração
Tua sina é divina
Basta esperar!

Diferencial


Mais cedo ou mais tarde essa hora teria de chegar. Sim, pois não há porque ocultar a "causa" de todo o conflito maior entre um casal que se ama. E assim a apologética terá de entrar em cena, ou talvez a misericórdia de Deus paire sobre nossos corações e desprezemos esta questão em nome do Amor maior.

Do contrário, há tanto o que dizer. Tanto o que comentar. Tanto o que revelar. Muito para se mostrar.
Mas se não for a Vontade Santa de meu Pai que está nos Céu, não direi nada!
Não vou explicar...
Não vou fazer apologética...
Porque não quero dizer algo em vão!
Quero dizer, sim, se for para cumprir o mandamento do Senhor. E que eu seja usado pelo Espírito Santo para revelar as razões de minha fé.

Porque o que une duas pessoas, antes de mais nada, não é a Fé que possuem, mas é o Amor que sentem.
São Paulo vai nos dizer isto em Coríntios 13: "ainda que eu tivesse toda a Fé, a ponto de transportar montanhas... se não tivesse o Amor, nada eu seria".
Para mim, o que importa é cumprir os mandamentos e crer no Salvador. Mas com Amor.
Não vou me apegar a picuinhas como muitos fazem, e tentar convencer, e tentar defender, porque não precisamos de defesa, mas de justificação.

E rogo-lhe: amor da minha vida, não seja como os demais que caem nesta situação!
Faça o diferencial, pelo amor de Deus!