segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A Espera


Uma coisa que muito me toca é quando observo um bebê. Geralmente quando este tem lá seus três aninhos. Olho para ele e, por um momento, fico divagando em minha imaginação. Penso muito em como será meu filho (ou filha, preferencialmente). Mais que isto, penso em minha futura família. Aquela que se sustentará a partir de "mim". Serei um pai de família um dia? Espero muito que sim.
Voltando para a criança que observo às vezes, começo a pensar no quanto amo esta idéia. Sim, só de imaginar um filho(a) em meu colo. Um ser humano que poderá vir através de minha humilde existência. Alguém dependente de meus conhecimentos para se desenvolver. Nossa. É incrível. Começo a sorrir. Primeiro por dentro. Depois externizo.
Mesmo que isto seja apenas uma devaneio de meu coração amante. Mesmo que não seja o plano de Deus para um futuro não tão distante... Ainda assim agradeço ao Pai por pelo mesmo ter a oportunidade de sonhar com isto. E tudo isso com "Você!".
Sim. Pois a alegria que nasce em mim, em meio à divagação onírica da minha vontade, em meio a tanto sonhar, é esplêndida.
Não estou interessado num futuro que não está ao meu alcance (e nunca estará, pois o futuro é abstrato). Quero saber do presente. Do que sinto "agora". E do que posso pensar para agora. E a verdade é que quero formar esta família feliz. Fundada na Amor da Sagrada Família cristã. Cheia de valores. Cheia da graça. Abençoada com orações. E independente de com quem estiver, assim o será. Mas a minha vontade é que seja com "Você". E é por isso que direciono-me agora, na tua direção, olhando (simbolicamente, pois não estou presente ai agora) para ti. E confesso que pensei que iria morrer ao me distanciar de ti. Por um momento achei que a minha razão de existir tivesse se dissipado no ar. Como se o vento tivesse varrido minha plenitude amorosa qual folhas no chão.
Mas de alguma forma você voltou para a minha atenção. E de algum jeito tocou meu coração novamente. Com mais força que antes. Com maior "sutileza".
Agora percebo que nunca serei completo, no que se refere ao Amor humano, consgrado por Deus no Sacramento do Matrimônio, sem esta consumação.
Talvez Deus tenha preparado outra pessoa lá na frente. Mas isto é uma fuga hipotética minha para não dizer que te quero para sempre. Pois na verdade o que quero é me casar contigo. Desde já o confesso. É minha vontade. É o que penso e sinto. Não tenho porque esconder. Mesmo que seja difícil. Mesmo que por enquanto isto seja algo impossível de se imaginar. Mesmo que pareça a coisa mais complexa do mundo. O que importa é que sinto que tudo só estará bem se você consumar-se a mim em matrimônio. E disser "Sim" no altar de Cristo. E certamente, neste dia, eu chorarei copiosamente. Pois estas futuras lágrimas expressarão a importância de tal consumação!

Para Ti


Apresentei meu sonho a Deus
E disse a Ele o quanto quero
Ser agraciado com esta realização
Com a concretização deste lindo sonho
Coloquei todo o meu querer em Seu santo altar
E ali prostrei-me de joelhos por longas horas
Falei de tudo que me aflige
Clamei por toda a piedade
Me confessei um pecador
Indigno de qualquer atenção
Mas também pedi por misericórdia
E por toda redenção
Apresentei meu sonho a Deus
E disse "Pai aqui está!"
A Ele dei meu coração
Para um outro aqui ganhar!
Pois a princesa que me toca
Meramente com o olhar
Se faz linda quando noiva
Se põe a imaginar

"Minha nossa", eu digo sempre!
"Pelos anjos do céu", suspiro!
Quero tê-la em meus braços
Eu por isso me atiro
Aos pés da cruz, no santo altar
Rogando ao Pai que me sustente
E diga "sim", é este o plano...
Fiques desde já contente!

O mundo gira e dá suas voltas
E hoje aqui me encontro "again"
Olhando para o céu, à noite...
Pensando muito em certo "alguém!"
Ela suspira por Amor
E eu suspiro cá também
De Amor vivemos nossos textos
Dizendo "faça-se! Amém!"

Por ela eu digo "Eu Te Amo!"
Por ela eu digo "Venha cá!"
Sem ela tudo está tão frio
Se não estamos juntos "lá¹"

1 - No leito do Amor.

♥ Eu amo Você ♥


Só de tê-la tido por perto
Bem ao meu lado
Sentada a conversar
Um arrepio e um calor
Passaram por mim
E meu coração tremeu

Seu olhar tem a capacidade
De "tocar" em mim
Ainda que a distância
E seu sorriso é tão gostoso
Que me faz sentir vontade de voar
Uma coisa boba assim
Parece um sonho de criança
Mas ao mesmo tempo me faz crescer
Pois quem ama assim
Quer formar algo maior
Em nome do amor
Algo que dure para a vida toda
Algo firme
Forte
Sagrado
Consumado
Algo que se refere ao ouro
"Não à prata"
Como você me diz

Ah! como é gostoso ouvir isto
E saber que vem de "Ti"
É como se o que sonhei na noite anterior
Tivesse se realizado em pleno dia

Mas não foi assim?
Realmente...
Tive até medo de abraçar-te
Medo de apertá-la em meus braços
Porque é tão bom o que sinto
E tão forte se faz
Que pensei...
E apenas pensei em falar...
Mas já tinhas partido...
Ficou a vontade...
Mas não a saudade...
Tive você tão perto
E ainda agora inflama meu peito
Dentro de um sentimento puro
Puro Amor!

É como se você estivesse aqui
Olhando para mim
Ainda falando com a sua doce voz
É a única voz feminina que quero ter
Para dizer coisas que somente uma pessoa...
Somente uma pessoa poderia me dizer!

Hoje tenho a confirmação daquilo que me causava dúvida...
Algo que sempre se manteve em minha consciência
Mas que agora se mostra tão verdadeiro
Quanto o azul do céu!

Não posso parar...
Porque esta é a minha essência
Porque se eu não puder ser o que sou
Não quero ser outra coisa!
E se não puder sentir o que sinto...
Sentirei o que mais?
Meu Pai, do céu, só me deu "este" sentir
Pois meu coração foi feito por Ele...
E Você... em Você meu coração focou...
Estacionou...
E armou acampamento!
Vou pernoitar nesta tenda...
Esperando o orvalho da madrugada pairar
E tocar nossas cabeças
Abençoando-nos como duas crianças
Dando-nos uma parque para brincar
Um jardim para cultivar
Sim! Um lindo jardim!
Onde todas as flores habitam
E nós...
Nós...
Somos os jardineiros responsáveis!

A Princesa Enclausurada


O rei aprisionou a princesa nas masmorras reais
Disse a ela que o guardião de sua beleza não poderá vê-la jamais!
Tocou em suas feridas filiais, abrindo-as novamente...
Desmerecendo até mesmo a sua condição real de princesa!
Oh! triste evento!
Triste saber!
Por que desse jeito?
A princesa se vê perdida em meio à tantas correntes...
Ao redor: um quarto esguarnecido...
Das masmorras ela pensa no que acontece;
Tenta refletir sobre os porquês e para-quês...
Busca razões para tanto aperto...
Tanta provação!
Do seu leito o guardião rumina sentimentos e pensamentos.
Comparando a importância que ela tem e a dificuldade em se chegar a ela.
Oh! como é difícil tanta beleza!
Tanto querer!
Tanto gostar e amar!
Por todo esse tempo que se enclausuraram de si mesmos...
No deserto dos corações...
Buscaram a verdadeira felicidade, mas a dúvida crescera mais ainda.
E uma chama se mostrou acesa, apesar de tudo...
Ela sabe disso...
Ela percebeu!
Apesar das paredes frias da masmorra de sua proibição...
Ela sabe!
E ele apenas observa, ao longe, seus cabelos sendo tocados pela brisa...
E seus olhos apenas confessam um sentimento real, autêntico...

Olhando para o céu, ele diz:
"Senhor, Senhor! está em Tuas mãos... pois faremos a nossa parte!
A consumação dos fatos vem do alto!"