quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Crise da Própria Razão

A época em que vivemos atualmente é muito complicada. Antigamente (bem antigamente) o povo tinha uma só fé, uma só opinião, uma só ideia na cabeça.
Hoje não temos mais unidade psicológica nem espiritual. Veja só:
As pessoas já não sabem se buscam o médico ou o padre ou pastor, ou o benzedor. Não sabem se tomam remédio ou oram. É complicado.
Na idade média predominava o Teocentrismo (Deus no centro do pensamento humano). Hoje vivemos um antropocentrismo mais egocêntrico que tudo. Não temos mais unicidade nem unidade com as coisas.
O povo está disperso em todos os sentidos. Tudo está dividido e perdido.

Mas o pior de tudo isso, é o fim a que chegamos. A perda da confiança na própria RAZÃO.
É isso mesmo. A razão não é mais a coisa mais certa que temos. O povo não acredita nem no que se pode provar com a lógica. E isto está causando uma descrença exacerbada na população em geral.
Se eu provar em tese das coisas em que creio, tal como dois mais dois são quatro, corro o risco de, mesmo assim, não ser acreditado.
Imagine o tamanho desse disparate filosófico.
A filosofia moderna deve rever seus conceitos e lutar por resgater a fé do homem. Pois a fé chegou ao ponto de questionar a própria razão.