quarta-feira, 20 de abril de 2011

Talvescência

Leandro Vieira

Ah! que falta que faz um colo...
Quando carentes nos encontramos
Quando solidão sentimos ..
Mas não carência de presença humana
E sim de companhia genuína!
Um par para dançar uma Valsa
A dança do Amor!
Ah! seria tão bom...
Mas quanto tempo ainda falta?
E onde estará o meu Amor...
Será que está me esperando?!
Ou será que estou apenas devaneando ao esperá-la?

Seremos eu e a Solidão preparados um para o outro sempre?
Pois desde a infância: a solidão!
A solidão me acompanha...
E ninguém entende quando você se sente só no mundo
Talvez os poetas compreendam...
Talvez os músicos mais sinceros...
Ou quem sabe andarilhos das ruas
Mas ninguém entende!

Queria saber se fui feito para o beijo que sei beijar
Ou para o conforto que sei causar...
Talvez sim
Talvez não
O que pensar, então?!

Padre Nosso que estás nos Céus...
Diga-me, Oh! celestial Ser Supremo
Quando poderei ter a certeza?
O que fazer para não se perder em si mesmo?!

Vinde a mim os pequeninos
Vinde a mim conforto dos braços feminis
E inebria-me de alegria perfumados cabelos
Olhos luminosos incendeiam-me a Alma
E o Coração
Vinde!
Estou duvidoso...
Sim...
Não...
Talvez...

O quê!

Nenhum comentário: