segunda-feira, 13 de junho de 2011

Crônica Reflexiva

Numa de minhas consultas meu médico me disse que sou movido pela ansiedade. Nas palavras do mesmo: "se retirar TODA a tua ansiedade eu acabo com o Leandro em você. Pois a tua ansiedade é tua salvação no final das contas".
Engraçado. Quanto mais reflito sobre este tema (conflitos internos) mais percebo a necessidade da oração pessoal, da meditação, da entrega dos problemas a Deus. E percebo também que não podemos viver uma vida plena "sem" estas práticas existenciais no decorrer (principalmente) de nossa vida adulta.
As pessoas vivem conflitos de "N" tipos. São várias categorias de tensões existenciais no cotidiano de cada indivíduo. Mas observando bem de perto a vida das pessoas podemos notar o quão pouco se entregam à oração. Não conversam com o Criador de modo algum. E ainda por cima querem que a Vida lhes seja gentil.
COMO?
Impossível manter um estado de espírito constantemente equilibrado se nem ao menos entregamos o nascer e o findar do nosso dia ao Senhor. Isto é sério. Devemos viver somente para Ele. O que acontece, no entanto, é que as pessoas vivem achando que um dia o mundo melhorará para elas. E que as coisas mudarão para a melhor do "nada".
É muita utopia, eu sei. Percebi tudo isso quando vivia sem rezar. Quando pensava que bastava estudar muito e aprofundar os mistérios científicos da existência para ter uma vida plena e feliz.
Hoje entendo que não há equilíbrio sem um mínimo de de esforço de nossa parte para agradar a Deus. E mesmo que pareça praticamente impossível viver uma vida devota, isto é, de piedade e total entrega, digo que há exemplor aos milhares para escolhermos como modelos de santidade.
Siga pelo menos um modelo e viverás a vida que sonhas (mas que não fazes ideia que existe no plano da realidade).

Nenhum comentário: