segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sal da Terra - Luz do Mundo

"Vós sois o sal da Terra.... Vós sois a luz do Mundo!" Assim nos disse o Senhor.
Poderia ter-nos dito de outra maneira, talvez mais denotativa e menos simbólica, mas preferiu ser mais "humano", mais indiretamente direto. O que isto quer dizer? Significa que Jesus nos afirmou sermos os responsáveis pelo "sabor" da existência no mundo.
Quer dizer também que, se somos O sal, e não COMO o sal, temos a responsabilidade de conservar as coisas de Deus enquanto jazemos neste estado de Queda adâmica.
O sal serve para salgar, ou seja, dar sabor aos alimentos que comemos. Ora, como observa o próprio Cristo, se o sal perde o sabor, com que haveremos de temperar o alimento? Com que haveremos de dar "sabor" às coisas que comemos?
Jesus enfatiza aqui que o sabor é o que dá "sentido" aos alimentos. Sentido no que diz respeito à característica de cada objeto alimentício; isto é, o sabor de cada fruta, cada legume, cada tipo de comida, é o que dá O sentido de procurarmos determinados tipos de alimentos e não outros.

Se nós somos O SAL da Terra, isto significa que somos NÓS (os cristãos) que devemos temperar o mundo com o sabor da Vitória sobre a Morte, da Esperança sobre as tribulações, da Força que brota da Fé e assim por diante.
Jesus é quem nos fez Sal da Terra. Mas se não estamos dando sentido à vida, tanto a nossa como a vida do próximo, então somos qual sal que deixou de salgar, tornou-se insosso.
E assim como o sal que perde o sabor é lançado fora, assim também Deus nos rejeitará por conta de nossa inércia prático-espiritual.

Poderia traçar aqui um paralelo, no referente ao "tempero" das coisas, com nossos sentimentos. Deus criou Adão, o homem racional, imagem e semelhança de Si próprio. Porém "percebeu" que não seria bom para o homem viver só, e fez-lhe uma "auxiliar". Esta auxiliar fora retirada da própria substância de Adão. Significa que Deus criou o Homem de uma substância específica, e, após já ter moldado do "barro" o primeiro ser humano, tinha já matéria prima para fazer uma segunda espécie (também) humana.
Surge então EVA, a primeira mulher.

A mulher é conhecida também pelo seu lado mais sentimental que o do homem. Eva pode ser representada aqui como o sentimento que fora criado para "auxiliar" a razão.
Ora, se o sentimento não existe, que "sentido" (note a palavra) se tem em pensar determinadas ideias?
Assim fica claro porque o Senhor Deus criou o sentimento em favor da razão. Pois a razão por si só não está completa. É necessário algo que auxilie a sua manifestação e atuação no plano da realidade.
O sentimento vem, por sua vez, dar "sentido" aos pensamentos e objetivos de uma mente.
Poderia afirmar aqui que a paixão que sentimos, por uma determinada pessoa, por exemplo, surge como "puro" sentimento (destituído da razão); e logo em seguida, se não houver profunda reflexão durante o período "apaixonado", sucumbe e expira.
Nossos sentimentos são o Sal de nossos pensamentos. Se pensamos equivocadamente, "sentiremos" de acordo.
Uma paixão pode ser comparada a um alimento muito temperado, que possui bastante pimenta, cheiro verde, molho e etc.
Uma relação de Amor "madura", já é diferente um pouco. Não é tão temperada. Basta observar a "firmeza" do relacionamento. Isto seria uma comparação imperfeitamente aproximada aos sentimentos.




Em seguida somos tidos por "A luz do Mundo". Ora, como a própria Palavra afirma, se a luz é para brilhar e iluminar um ambiente, jamais deve ficar posta em lugar inadequado a tal fim. Deve ser colocada em lugar visível e que possa distribuir a maior quantidade de luz possível.
Somos esta luz, ou seja, somos nós que devemos iluminar o mundo com nosso "testemunho". Com nossa Força de Fé, Esperança e Caridade.
O mundo pagão não possui esta luz, e por isso Cristo nos advertiu sobre sermos A Luz do Mundo.

Também significa que devemos estar num lugar onde TODOS possam usufruir da Salvação que vem de Deus. Não devemos nos limitar ao âmbito da Igreja local (plano físico) para vivermos nossa caminhada cristã.
Devemos ser canal da Graça, ponte de salvação para TODOS. E para sermos esta ponte, cabe a nós deixar-se edificar pela Palavra e pelo Magistério Sagrado que Jesus instituiu à Igreja desde o início.
O Magistério ensina e cria "ensinadores". Prega e forma pregadores. Salva e forma canais de salvação entre os homens.








Comentário à homilia da Santa Missa deste domingo passado (06/02/2011).